terça-feira, 2 de maio de 2017

APRESENTAÇÃO DO GIRO D’ITÁLIA 2017

Com o início da Volta a Itália entramos numa outra fase da temporada, onde os puros trepadores ganham protagonismo e os voltistas aparecerem, ganhando o lugar aos especialistas em clássicas. Este ano será a 100ª edição da competição italiana, prova que terá o seu início em Alghero a 6 de Maio e termina em Milão no dia 28 de Maio, num traçado que promete muita dureza. De um modo global, esta edição do Giro é duro, contando com 9 etapas de alta montanha, entre as quais 5 chegadas em alto e 2 contra-relógios, sendo que dois deles são oportunidades para os puros especialistas ganharem tempo já que ambos são bastante longos. 
Os sprinters deverão estar a esfregar as mãos com a jornada de abertura deste Giro, serão 203 quilómetros com algumas colinas pelo meio, a última a 20 kms do final. No dia seguinte virão 208 quilómetros já com muita dureza e um incrível desnível positivo. Após 90 quilómetros de altos e baixos há 2 complicadas contagens de montanha, última delas a 45 kms da linha de chegada, vai ser um dia para sprinters que passem bem a média montanha.
A 3ª etapa é totalmente direccionada para os homens rápidos, com final em Cagliari, sendo que as primeiras grandes diferenças na classificação geral se farão na 4ª jornada, na chegada ao Etna, 180 quilómetros com 2 enormes ascensões é o desafio para os ciclistas, com o final no famoso vulcão transalpino. A 5ª jornada será de novo para os sprinters presentes na prova.
Na 6ª etapa deverão ser os puncheurs a reinar, num final armadilhado em Terme Luigiane, em mais um dia com mais de 200 quilómetros, que se irá repetir na 7ª tirada, num dia para os sprinters. Na 8ª jornada há mais uma chegada em pequeno topo, talvez possa ser uma boa oportunidade para a fuga resultar. A alta montanha regressa na 9ª etapa, com a chegada ao Blockhaus, uma subida de 2 fases, a 1ª com 8 kms e a 2ª com 13 kms, numa curta ligação de 140 kms.
Depois surge o primeiro contra-relógio individual, num percurso bem acidentado, com um total de 39 quilómetros. A 11ª etapa parece talhada para uma fuga, com a classificação geral já a ficar definida temos 4 contagens de montanha, a última a 25 kms da meta. A 12ª jornada é a maior ligação deste Giro, é para sprinters, tem 237 kms e final em Reggio Emilia. Os homens rápidos terão nova chance na 13ª tirada.
Na 14ª etapa teremos outro “unipuerto”, 120 kms planos e 11 kms de subida bem íngreme com chegada a Oropa. A 15ª jornada parece mais um dia perfeito para uma fuga de ciclistas atrasados na geral, é longa e com montanha a meio, ninguém deverá querer controlar. Depois entramos no bloco decisivo, um dia horrível na alta montanha, com o Passo Mortirolo, o Passo Dello Stelvio e o Umbrailpass, esta última ascensão que precede uma descida de 20 kms até Bormio, numa extensão total de 227 kms.
A 17ª jornada é curiosa, tem 219 quilómetros, 2 contagens de montanha logo ao início e termina com 70 kms de falso plano, num desfecho incerto. Segue-se mais uma tirada muito curta, 137 quilómetros que dão para inserir 5 contagens de montanha, um carrossel incrível onde tudo se pode decidir, com final em Ortisei/ St. Ulrich. Mais uma chegada em alto terá a 19ª etapa, uma ligação de 191 kms algo monótona, com um final duríssimo em Piancavallo.
A penúltima jornada pode ter uma palavra a dizer na classificação geral, são mais 190 quilómetros com o Monte Grappa a meio e uma subida de 14 kms a apenas 15 kms da meta. Mas poderemos mesmo ter emoção até ao final, pois o final deste Giro será marcada por um contra-relógio plano, de 28000 metros, com início no Autódromo Internacional de Monza e final em Milão.
Globalmente talvez se esperasse um pouco mais do percurso desta edição emblemática do Giro. Os sprinters estarão com os olhos postos na prova italiana, com muitas oportunidades nas 2 primeiras semanas, podem ir embora mais cedo e preparar o Tour. A última semana será absolutamente decisiva, com grande parte da alta montanha aí concentrada e o esforço individual final, que poderá guardar suspense até ao limite.
Foto de Camisola Amarela.
Em: https://www.facebook.com/CamisolaAmarelaCiclismo/photos/a.1621829811399012.1073741828.1621819998066660/1883213815260609/?type=3&theater

MM

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.