domingo, 27 de setembro de 2015

Para usar na sua bike como principal meio de transporte - Vintage e calça jeans.


Para usar a sua bike como principal meio de transporte de locomoção diária.
A Levi’s é conhecida como a empresa que inventou o jeans para os trabalhadores do século XIX, isso porque os mineradores necessitavam de um uniforme mais resistente, portanto, foi criado o jeans com ‘rebites’ de cobre (aqueles botões nos bolsos).
Ao longo de toda a história do jeans, diversas marcas reinventaram o jeans, mas a Levi’s mais uma vez inova com seu produto direcionando um setor único e exclusivo para os trabalhadores.
Hoje trabalhadores que utilizam bikes para a locomoção diária.  
Podemos classificar ainda como os ciclistas urbanos.
Para isso o responsável pela linha de produção da marca disse que os tipos de linhas e cortes da calça jeans será ajustada para aumentar a flexibilidade e mobilidade do ciclista/trabalhador.
Para acompanhar o estilo trabalhador despojado, pensamos em qual seria a bike ideal para este público específico.
Levando em consideração que muito do que vemos hoje é proposto por novos estilos e as tendências da moda, escolher uma bike para desfilar com o seu estilo próprio também faz parte do seu armário.
Comentamos de diversas bikes de performance aqui no blog, mas pouco falamos das bikes vintage, que se encaixam perfeitamente ao novo estilo do trabalhador do século XXI.
A bike vintage é ergonomicamente mais fácil para subir e descer dela, porque seu quadro é mais baixo na altura do banco, ou seja, o quadro começa na altura da guia (manopla) e a extensão do quadro finda-se no espigão à altura da coroa da bicicleta (aonde ficam os pedais).
A posição da guia também é bastante confortável, deixando o ciclista com postura quase à 90º, ou seja, muito cômodo para ser utilizada no dia-a-dia.
O perfil do novo trabalhador:
Hoje em dia trabalhar em grandes escritórios já não se tem mais uma mesa fixa, não há salas de reuniões antiquadas e os horários de expediente é totalmente flexível.
Sem falar que existe sala de descompressão, vídeo-games e jogos diversos, enfim, um ambiente completamente diferente do que nossos avós vivenciaram.
A bicicleta está na moda novamente, e faz parte do contexto das mudanças dos novos trabalhadores de escritório.
Com todas essas mudanças e todas as dificuldades de locomoção na cidade, como transporte público defasado e trânsito caótico, para quem mora perto do trabalho utilizar a bike é o melhor negócio.
Juntando seu estilo próprio, como utilizar calças jeans próprias para bikes, você consegue criar um novo estilo de moda e de vida.
Use esta idéia para mudar alguma coisa em seu dia-a-dia!

Ana M

Assassínio de ciclista.

Absolvição de menores que confessaram ter esfaqueado e matado ciclista.

É complicado… O Ministério Publico tomou uma atitude bastante estranha nessa quarta-feira, ao solicitar a condenação de um dos menores que cometeram o crime de assassinar Jaime Gold, ciclista que estava pedalando Lagoa Rodrigo de Freitas, na Zona Sul do Rio de Janeiro, em 19 de maio, sendo que ele sempre negou a participação no fato e pediu a absolvição dos outros dois menores, que confessaram a participação e inocentaram o primeiro.
Ciclista_Morto
Os três tinham entre 15 e 17 anos.
“É uma situação que nunca vi na minha vida. Esperamos a sentença. A única coisa que liga o adolescente ao fato é uma testemunha”, afirmou Alberto Júnior, um dos advogados de defesa do primeiro adolescente. A audiência terminou por volta das 22 horas e a juíza Michelle Gouvêa Pestana, da Vara da Infância e da Juventude, vai proferir sentença a sentença no prazo de até dez dias.
De acordo com os promotores, Luciana Benisti e Renato Lisboa, que a “simples” confissão dos dois jovens de 15 e 17 anos, não comprovam a participação deles no crime, já que eles não foram reconhecidos pela única testemunha ocular do caso, um frentista de 28 anos.
Mas já o primeiros dos menores, de 16 anos, que negou a participação do crime, voltou a ser reconhecido por esse homem, segundo o defensor público Fábio Schwartz, advogado dos dois garotos que confessaram o crime. “A confissão deles não se harmonizou com as provas. O que os adolescentes dizem que fizeram não é corroborado com a principal testemunha.”
A defesa do primeiro jovem reclama que pediu três acareações à Justiça e que nenhuma foi autorizada. Segundo o advogado Djefferson Amadeus, outro advogado do adolescente, o frentista afirmou nesta quarta que o autor das facadas era branco. “O frentista diz de forma clara que quem deu a facada foi o branco, o mais claro. O mais claro está lá”, declarou, referindo-se ao terceiro jovem.
Todos os suspeitos estão detidos, sob os cuidados do Departamento Geral de Ações Socioeducativas (Degase). Na quarta, os advogados de defesa do primeiro adolescente apreendido impetraram habeas corpus em favor do jovem, mas foi negado pela desembargadora Denise Vaccari, da 5ª Câmara Criminal do TJ-RJ.
Visto em: pra quem pedala.
MM

sábado, 26 de setembro de 2015

I Maratona "A Volta ao Moinho"

I Maratona "A Volta ao Moinho"


Onde?

Inscreva-se já!
Foros de Arrão, Portalegre

Quando?

Domingo, 18 de Outubro de 2015 às 08:00
Inscrições até: Quarta, 14 de Outubro de 2015 às 23:59

Quanto?

InscriçãoAlmoçoAcomp.
10.00 5.00 €7.50 €

Mais informações?

Para obter mais informações acerca deste evento clique no botão abaixo.

Detalhes do evento

MM

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Extremos!


Overtraining e undertraining, cuidado com os extremos!


Tired-Cyclist
Num artigo publicado há algum tempo falamos de como podemos avaliar se estamos ou não no caminho certo em relação ao planeamento para um Ironman. 
Dando prosseguimento e aprofundando mais esse assunto, falaremos sobre dois aspectos muito comuns para que você não cometa alguns erros. 
Durante o processo de treino para uma prova, especialmente uma prova como o Ironman, devemos estar atentos aos extremos do treino, ou seja, precisamos analisar se estamos indo além ou aquém do que podemos e necessitamos. 
Chamamos esses dois extremos de overtraining (excesso de treino) e undertraining (falta de treinamento ou treinamento insuficiente).
Começando pelo mais frequente que é o overtraining:
– Na maior parte das vezes vem da combinação de um grande volume de treino com uma alta carga de intensidade, o que gera um enorme desgaste em seu sistema imunológico e uma grande dificuldade de recuperação. 
A soma desses dois factores pode ser crucial para uma lesão ou para uma doença, portanto cuidado com os treinos longos em grupo, pois estes tendem a ser mais fortes do que você deveria fazer em função da competitividade natural do ser humano.
Um outro ponto que pode desencadear um quadro de overtraining é o desequilíbrio no balanço hormonal. 
Esse desequilíbrio normalmente acontece devido a alguns aspectos como treinos muito longos sem as compensações adequadas que tendem a “inundar” o corpo com cortisol (hormônio do estresse) e trazer alguns efeitos nocivos como aumento da pressão arterial e do açúcar no sangue, catabolismo muscular e supressão do sistema imune. 
Factores extra treinos também devem ser levados em consideração como estremasse no trabalho, problemas familiares, poucas horas de sono e alimentação inadequada. 
Tudo isso tem um impacto hormonal muito grande em seu corpo e se não tivermos atenção para fazer as devidas correcções, podemos estar a jogar todo nosso treino por água a baixo!
Na fase de treinos específicos para o Ironman, onde fatalmente os volumes são grandes, indico aos atletas, principalmente os iniciantes que procurem seguir durante os treinos longos de corrida um protocolo que chamo de “run/walk” onde peço aos atletas para que corram entre 8 e 9 minutos e caminhem de 1 a 2 minutos, minimizando assim o impacto em suas articulações e reduzindo seus batimentos cardíacos. 
Outra dica é fraccionar os treinos de natação em séries curtas para a manutenção da técnica e do ritmo. 
Essas condutas ajudam os atletas a cumprir sua rotina de treinos sem tanto sacrifício e reduzem consideravelmente a possibilidade de um overtraining.
Menos frequente, mas igualmente perigoso. Vamos falar sobre o undertraining:
– Na grande maioria das vezes a grande vilã para que se estabeleça um quadro de undertraining é a falta de consistência nos treinos. 
Esse problema pode ocorrer por vários motivos desde a falta de organização na rotina do atleta, que acarreta em falta de tempo para treinar até treinos muito intensos, visando “bater recordes”, o que faz com que o atleta fique extremamente fadigado e necessite de alguns dias de descanso total para se recuperar, quebrando a sequência de treino.
Outra coisa importante é o atleta procurar desenvolver as valências físicas necessárias (velocidade, força, habilidades motoras, tolerância ao lactato e endurance) durante, pelo menos os 6 meses que antecedem a prova, pois o desenvolvimento de cada uma dessas valências leva um certo tempo e se o atleta deixar muito para em cima da hora, acabará não tendo tempo suficiente. 
Em se tratando desse aspecto, procuro orientar os atletas a usarem a “Periodização Inversa” (que já tratamos em artigos anteriores) e dividirem seu planeamento em blocos enfatizando em cada um, uma valência distinta.
Precisamos ainda estar atentos ao período que chamamos de “taper” ou polimento, pois é bem comum vermos atletas começando a diminuir o volume de treino muito cedo, cerca de um mês antes da prova e focando apenas na intensidade, na tentativa de manter seu nível de condicionamento e ganhar velocidade.
 Dessa forma, no dia da prova, vejo atletas rápidos, porém pouco resistentes que acabam sucumbindo após as primeiras horas competindo. O mais coerente seria reduzir exactamente a intensidade primeiro (pois a velocidade já deveria ter sido adquirida nas primeiras fases do processo de treinamento), diminuindo assim o nível de fadiga e deixar uma carga de volume maior até 14/10 dias antes da prova, para manter um bom grau de resistência, já que é o que a competição mais exige.
Por fim, vale lembrar que, assim como em qualquer esfera da vida, no treinamento para o Ironman, não podemos ser 8 nem 80, devemos sim, buscar o equilíbrio!

MM

SÓCIOS

SÓCIOS

VANTAGENS

SEGUROS*

  • Acidentes Pessoais (válido em todo o mundo)
  • Responsabilidade Civil (válida em Portugal e Espanha)
  • Morte ou Invalidez Permanente
  • Despesas de Funeral
  • Despesas de Tratamento e Repatriamento
  • Acompanhamento jurídico da FPCUB
  • Assistência em Viagem

* Sempre que utiliza a bicicleta na prática da actividade desportiva, cultural, ecológica, utilitária, recreativa e de manutenção, excluindo a competição e actividades radicais.

DESCONTOS

Lojas de Bicicletas, Restauração, Hotelaria, Parques de Campismo, Pousadas da Juventude, Aluger de viaturas, Outros…

PEDALAR

Edição de distribuição gratuita aos Associados

OUTRAS

  • Calendário nacional das actividades de BTT e Estrada
  • Aconselhamento técnico na aquisição de bicicletas e acessórios
  • Participação na rede internacional de eventos da ECFAIT e UECT

INSCREVA-SE ONLINE !

Para mais informações contacte-nos: 213 159 648  |  fpcub@fpcub.pt

MM

MANIFESTAÇÃO – SEXTA-FEIRA 25 DE SETEMBRO, 18H30 – TERREIRO DO PAÇO – CONTRA A PROIBIÇÃO DO TRANSPORTE DE BICICLETAS NA TRANSPORTES DE LISBOA – EXCESSO DE ZELO.

Lisboa, 23 de setembro de 2015.
A Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta (FPCUB) vem comunicar que tomou conhecimento de que a Transportes de Lisboa procederá à proibição do transporte de bicicletas nos seus serviços fluviais.
Após tentativa de obter esclarecimento junto da Transportes de Lisboa, sem resposta até à hora de produção do presente comunicado, a FPCUB tem a manifestar a sua preocupação com a confirmação desta proibição, sendo que os seus associados, utentes dos transportes públicos e restante população, de forma generalizada, saem muito prejudicados com tal retrocesso, sobretudo tendo em conta uma perspetiva contemporânea de mobilidade urbana sustentável, para a qual, esta federação e os seus cerca de 35.000 associados muito contribuem.
A FPCUB tem vindo a acompanhar esta situação desde setembro de 2014 através dos serviços competentes da Transportes de Lisboa – Transtejo (Autoridade de Segurança de Exploração ASN) dando-nos conhecimento que a Direção-Geral de Recursos Naturais, Segurança e Serviços Maritimos (DGRM), face ao decreto lei n.º 20:255 de 13 de agosto de 1931 (regulamento geral sobre as condições a que devem satisfazer as embarcações de passageiros nas zonas do tráfego local), considera que a instrução de segurança (K-Transporte de Bicicletas) com o n.º 01/DS/14 na edição 3, deve ser revista relativamente a todas as embarcações que não possuem qualquer tipo de autorização ou certificação e, em consequência, o transporte de bicicletas deve ser interdito até que essa autoridade se pronuncie.
Após a aposentação e recentes alterações dos responsáveis na Autoridade de Segurança de Exploração ASN, a FPCUB e todos os utentes destes serviços públicos, vêem-se confrontados com esta determinação, sem qualquer auscultação ou envolvimento prévio, para prover às diligências necessárias que possam permitir o transporte de bicicletas, como todos o desejamos. A FPCUB lamenta esta decisão, que compromete uma bandeira de longos anos para a mobilidade urbana sustentável, e para a qual a própria Transtejo muito contribuiu. Facto aliás que constituiu um dos principais argumentos para o seu reconhecimento no âmbito do Prémio Nacional de Mobilidade em Bicicleta na categoria “Empresas de Transportes Coletivos” de 2012.
Assim, a FPCUB promoverá a realização de uma manifestação na próxima sexta feira, dia 25 de setembro de 2015, com concentração no Terreiro do Paço às 18h30. Procederemos à entrega de um documento no Ministério da Agricultura e do Mar (tutela da Direção-Geral de Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos) e na sede da Transportes de Lisboa/Transtejo sita na estação fluvial do Cais do Sodré (via Av. Ribeira das Naus), para manifestarmos o nosso posicionamento público contra aproibição de transporte de bicicletas nas ligações fluviais da Transportes de Lisboa.
A FPCUB é uma pessoa coletiva de utilidade pública, sendo composta por 1200 associações (e clubes) representando um total de cerca de 35.000 pessoas, parte das quais, já nos manifestaram profundo desagrado com proibição do transporte de bicicletas a bordo dos serviços fluviais.
Com os melhores cumprimentos,
O Presidente da FPCUB
José Manuel Caetano

MM

CAMPANHA NOVOS SÓCIOS.


(A partir das 00h00 de dia 6 de julho de 2015)
Faça-se sócio agora até ao final de 2015 por 15€
ou
Até ao final de 2015+2016 por 42€
(Válido também para renovações)
campanha novos socios
MM

FPCUB LANÇOU UM CONJUNTO DE RECOMENDAÇÕES ÀS CANDIDATURAS PARA AS ELEIÇÕES À ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA 2015 PARA UMA MOBILIDADE CICLÁVEL.


A propósito do dia de hoje, dia 22 de Setembro, dia Europeu sem Carros, vimos divulgar que Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta (FPCUB) apresentou no início do mês de Setembro, um documento com um conjunto de recomendações para uma Mobilidade Ciclável às candidaturas para as eleições à Assembleia da República 2015.
Este documento foi enviado a todos os partidos políticos e grupos parlamentares com assento na Assembleia da República.
Este conjunto de recomendações políticas e legislativas promotoras da mobilidade suave e ciclável pretende ser uma base para a elaboração dos programas das várias forças no que respeita à mobilidade ciclável, lançando várias medidas que poderão ser tomadas para o aumento e melhoria da Moblidade Ciclável, num contexto de alargado contributo para uma mobilidade mais sustentável, cidades inteligentes e melhor qualidade de vida.
A FPCUB coloca-se à disposição para todos os esclarecimentos que considerem convenientes.

MM

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Ciclista desce barragem com 60 metros de altura

O ciclista Primož Ravnik desafiou as leis da gravidade e a própria morte para captar um vídeo vertiginoso, com uma GoPro. As imagens mostram-no a descer de bicicleta a parede de uma barragem com 60 metros de altura, na Eslovénia. 

O mundo já viu muitas proezas realizadas em cima de uma bicicleta, mas nenhuma como esta. Primož Ravnik desceu a parede de uma represa de bicicleta, na vertical, e fez mais do que sobreviver para contar a história: filmou o momento. 

O vídeo publicado no Youtube já tem cinco milhões de vizualizações e ganhou o segundo lugar num concurso de filmes gravados com uma câmara GoPro. 


ANTEVISÃO DOS CAMPEONATOS DO MUNDO - CONTRARRELÓGIO POR EQUIPAS MASCULINO

ANTEVISÃO DOS CAMPEONATOS DO MUNDO - CONTRARRELÓGIO POR EQUIPAS MASCULINO
Percurso
A prova de contrarrelógio colectivo dos Campeonatos do Mundo de 2015, disputa-se, tal como todas as outras, na cidade de Richmond, nos Estados Unidos. 38,8 kms será o que as equipas terão que percorrer.
O percurso deste ano é daqueles que todos os contrarrelogistas puros gostam, uma vez que é praticamente plano, e com estradas longas e largas.
A corrida começa com 10 kms planos, onde as equipas passam pelo centro da cidade, por isso não existem grandes viragens técnicas, o que torna a prova bastante rápida. Após estes 10kms sem dificuldades, os ciclistas têm uma viragem a 90 graus, que os leva a uma curta descida, e a nova fase de plano. Depois, ao km 15 existe uma pequena subida, tal como ao km 23. Pelo meio, temos nova zona plana e sem grandes curvas técnicas. De seguida, tal como em todo o percurso, existe uma longa fase de plano que deixa os ciclistas numa descida, com 33 kms percorridos. Ao fim de mais uma curta descida, nova fase de plano que deixa os ciclistas à entrada do quilómetro final e da única séria dificuldade da prova. Com uma viragem aperta para a direita, as equipas em prova entram na Governor Street (6,9% de inclinação média durante 300 metros). No topo desta subida, existem uma curva apertada para a esquerda que deixa os ciclistas nos últimos 700 metros, sendo estes num falso plano.
Favoritos
A BMC Racing Team é a principal favorito ao ouro. A equipa norte-americana vem defender o título alcançado no ano passado, em Ponferrada, e vai querer fazer boa figura. Sendo a equipa praticamente igual à do ano passado, esta será uma das vantagens de Rohan Dennis, Silvain Dillier, Stefan Kung, Daniel Oss, Taylor Phinney e Manuel Quinziato. Com excelentes contrarrelogistas, como Dennis, Kung e Phinney, e excelentes roladores, como Oss, Dillier e Quinziato, a BMC tem aqui uma combinação do que é necessário para vencer mais um título mundial.
Tendo perdido no ano passado o trono, a Etixx-QuickStep vai querer recuperar o seu lugar. Com Niki Terpstra, Tony Martin, Tom Boonen, Yves Lampaert, Rigoberto Urán e Michal Kwiatkowski, a equipa liderada por Patrick Lefevere tem tudo o que é necessário para vencer, desde um dos melhores contrarrelogistas do mundo, Tony Martin, a excelentes roladores, como é o caso de Tom Boonen. Com uma equipa bastante homogénea, os blegas vão dar tudo por tudo para serem pela terceira vez campeões do mundo.
Outsiders
Os australianos da Orica-GreenEdge foram segundos no ano passado. Estando tão perto do título mundial, os australianos vão querer sagrar-se campeões mundiais pela primeira vez. Michael Hepburn, Luke Durbridge, Svein Tuft, Sam Bewley, Jens Mouris e Michael Matthews foram os escolhidos por Neil Stephens para defender as cores da sua equipa. Conhecida por vencer a maior parte os contrarrelógios colectivos onde entra, a Orica será uma equipa a ter em consideração.
A Tinkoff-Saxo vem com grandes ambições para Richmond. Como objectivo de conseguirem um lugar no pódio, a equipa de Oleg Tinkov convocou Michael Rogers, Peter Sagan, Maceij Bodnar, Michael Valgren, Christopher Juul-Jensen e Manuele Boaro. Com contrarrelogistas de grande nível, como são os casos de Rogers (3 vezes campeão do mundo da especialidade9, Bodnar (3 vezes campeão polaco, e 2º lugar no recente contrarrelógio da Vuelta), Juul-Jensen (actual campeão dinamarquês) e Sagan (actual campeão eslovaco), a equipa russa pode vir a ser uma grande surpresa no dia de hoje.
A Movistar tem sido uma surpresa nos contrarrelógios colectivos, mas sendo este um pouco menos acidentado, as possibilidades da equipa espanhola vencer são mais reduzidas. Mesmo assim, Alex Dowsett, Adriano Malori, Jonathan Castroviejo, Ion Izagirre, Andrey Amador e Jasha Sütterlin têm uma palavra a dizer, no que diz respeito às medalhas. Alex Dowsett e Adriano Malori serão os pilares da equipa de Euzebio Unzue.
Possíveis surpresas
Apesar de não acharmos que estas equipas vão lutar pela vitória, e provavelmente pelas medalhas, pode acontecer algo de inesperado que as faça obter um excelente resultado.
A IAM Cyling vem com uma equipa constituída por Mathias Brändle, Jerome Coppel, Stef Clement, Reto Hollenstein, Jarlisno Pantano e Aleksejs Saromotins e com os excelentes roladores que traz até aos Estados Unidos pode fazer uma pequena surpresa.
A outra surpresa pode vir da LottoNL-Jumbo. Os holandeses vão alinhar com Robert Gesink, Wilco Kelderman, Sep Vanmarcke, Jos Van Emden, Tom Leezer e Marteen Tjallingii. Tendo bons contrarrelogistas, como Kelderman e Van Emdem, e bons roladores, como Vanmarcke e Tjallingii, os holandeses pode vir a lutar por um lugar entre os melhores. Destacamos as excelentes prestações, comparadas com os anos anteriores, que a equipa tem realizado neste especialidade este ano.
Também os nossos super-jokers podem ser incluídos neste lote de possíveis surpresas.
Super-jokers
Os nossos super-jokers são as equipas da Astana e da Trek Factory Racing.
Foto de Camisola Amarela.
MM

quinta-feira, 17 de setembro de 2015

MILITARES CUMPREM MISSÃO EM BICICLETA.


Trinta militares da Brigada de Reação Rápida (BrigRR) do Exército Português, vão trocar as fardas e as armas por bicicletas e realizar uma volta a Portugal, com cinco etapas, na qual serão percorridos cerca de 470 quilómetros.
A 1.ª Volta a Portugal em Bicicleta da Brigada de Reação Rápida começou em Lamego (15 de setembro) e termina em Estremoz (19 de setembro), unindo as diferentes localidades, onde estão aquartelados regimentos que contribuem com efetivos para a unidade de Reação Rápida.
A primeira jornada liga Lamego, onde está o Centro de Tropas de Operações Especiais, a Aveiro, sede do Regimento de Infantaria 10, e terá 131 quilómetros; a segunda liga Leiria (Regimento de Artilharia 4) a Tomar (Regimento de Infantaria 15), na distância de 62 quilómetros; a terceira será a mais longa (142 quilómetros) e levará os ciclistas-militares de Vila Nova da Barquinha – Tancos (Quartel-General da Brigada de Reação Rápida e Regimento de Paraquedistas) a Sintra (Regimento de Comandos); a última tirada será entre Beja (Regimento de Infantaria 1) e Estremoz (Regimento de Cavalaria 3) e terá 124 quilómetros.
A chegada a Estremoz, no dia 19 de setembro, está prevista para as 13h00.
Vê aqui o vídeo com toda a informação: https://drive.google.com/…/0B9D3CxEGGrcFTjZVRk84TDRZaEk/view
Foto de Município de Estremoz.
MM

O símbolo ''Porto''

Profundo conhecedor da realidade "Porto" e da gestão de balneários, José Neto - que trabalhou nos dragões com José Maria Pedroto, e outros técnicos azuis e brancos, na procura da otimização do rendimento - explicou ao zerozero.pt como é que Julen Lopetegui deverá gerir o ego das várias estrelas que tem à sua disposição esta temporada.
"O símbolo que carregas ao peito é mais importante que o nome que tens nas costas",
«Tem que haver uma noção imediata do que é a liderança. Depois tem que haver uma formação de objetivos de conquista desafiadores, não podem ser objetivos fáceis. Equipas com muitas estrelas têm de ter objetivos ambiciosos e altamente elevados», explicou José Neto, renomado especialista nas áreas da metodologia do treino e gestão do jogador dentro de um plantel, que considera que o grau de exigência no clube «será muito maior» esta época.

«Os jogadores sabem que vieram para o FC Porto com o "patrocínio" do seu treinador. É evidente que o grau de exigência será muito maior e ele tem que assumir. Se a exigência já estava elevada, pois não ganhou nada, agora será muito maior face ao capital de importância que a equipa ganhou com jogadores de uma dimensão de alto gabarito. Têm de dar resposta.»

A importância de estágios e jantares do plantel

Confrontado com a nova realidade no Dragão, José Neto considera que «em equipas sem estrelas o inêxito pode ser desculpado, mas em equipas com estrelas a falta de êxito não será desculpado». Por isso, «tem de se formar uma dinâmica positiva que possa concentrar os jogadores e mantê-los com equilíbrio, e fazendo daquilo uma família».
       Equipas com muitas estrelas têm de ter objetivos ambiciosos e altamente elevados
Mas como se pode fazer isso? «Como? «Com jantares, com estágios, por exemplo. Estes estágios no começo da época permitem assumir uma conduta de família», sublinhou nas declarações ao zerozero.pt.
Esta época, Casillas e Osvaldo são, desde logo, duas referências mediáticas para o clube azul e branco. José Neto não antevê uma missão fácil para Lopetegui, a quem reconhece «muitas qualidades».
«Não é fácil, claro que não. Cada estrela quererá brilhar à sua maneira. E se a estrela não for capaz de se relacionar com os outros, é capaz de criar alguns conflitos e nós temos visto isso em outros clubes. Agora, há exemplos de que a maior estrela é o coletivo e é assim que tem de se trabalhar», disse-nos José Neto, autor de várias obras ligadas ao futebol.
E se o coletivo, como nos diz o nosso entrevistado, for a maior estrela, fará sentido a frase que os adeptos do FC Porto costumam apregoar aos seus jogadores: "O símbolo que carregas ao peito é mais importante que o nome que tens nas costas".
Visto em: https://www.google.pt/search?hl=pt-PT&site=imghp&tbm=isch&source=hp&biw=1920&bih=979&q=cassilhas+de+bike&oq=cassilhas+de+bike&gs_l=img.3...1266.5121.0.5472.17.11.0.6.0.0.164.1023.8j3.11.0....0...1ac.1.64.img..7.10.929.4aEEq_2jEng#imgrc=r5U9be0CPxFB6M%3A
MM

Onde vale a pena gastar mais dinheiro.

 Na bike de estrada ou na Mountain Bike?
Logicamente que esse tópico é voltado para pessoas que praticam ambas as modalidades. Se você pratica ciclismo de estrada e Mountain Bike e só tem grana para ter uma bike melhor, em qual das duas vale a penas investir mais dinheiro.
Esse assunto foi abordado em duas conversas que tive com pessoas diferentes esse final de semana e resolvi escreve um pouco sobre o tópico.
Trek_Super_Fly_SL-1
Se você pratica MTB e ciclismo de estrada com frequência, tirando algumas excepções, sempre vale mais a pena gastar mais dinheiro com a Mountain Bike do que com a bike de estrada. Isso porque o equipamento é muito mais exigido no MTB do que no ciclismo de estrada.
Um bom freio, uma boa suspensão, um bom pneu fazem ma diferença enorme no MTB, pois as condições de uso não muito mais extremas e mais exigentes.
Quem não pratica o MTB, não tem muita noção disso, mas, por exemplo, é brutal a diferença entre um pneu bom e um pneu ruim de MTB, no ciclismo de estrada, essa diferença não é tão gritante.
Specialized_Venge_ViAS_2016-20
No ciclismo de estrada, as maiorias dos ganhos advindos de melhores equipamentos são marginais, A diferença entre um grupo 105 e um grupo Dura-Ace, por exemplo, são praticamente imperceptíveis. E o 105 custa 1/3 do Dura-Ace. E a sua bike de estrada não vai ficar MUITO mais pesada, nem ter nenhum tipo de perda significativa se você a montar com componentes intermediários.
Já o MTB, como a quantidade de componentes é maior e os grupos melhores são todos muito mais leves, uma bike bem montada tem um peso bem inferior além dos componentes oferecerem uma performance realmente melhor.
RockShox_RS_1-6
Suspensão, por exemplo, é um componente que faz MUITA diferença no MTB, melhor leitura de terreno, melhor retorno, se ela tem ou não trava remota, controle inteligente, peso. Tudo isso não fatores fazem uma diferença muito grande e geralmente os modelos mais simples não possuem. Já um garfo de ciclismo de estrada não tem praticamente variação nenhuma, a não ser aerodinâmica e peso.
Freios, como outro exemplo, já que as bikes de estrada ainda não estão autorizadas a utilizar freios a disco, a diferença entre os freios intermediários e melhores é muito pequena. Já no MTB, a modulação, controle de aquecimento e potência de travagem são muito importantes e os freios melhores oferecem uma condição de uso bem melhor.
Foto: Shimano
Foto: Shimano
O grupo da bike passa por condições de lama, impacto, trepidação, trancos e uma série de condições que geralmente não existem no ciclismo de estrada, o que também faz com que os melhores grupos tenham uma melhor capacidade de não desregular e de superar melhor essas condições.
Uma coisa que faz muita diferença nas bikes de estrada, é o formato do quadro, geometria e etc. Bikes aero ou bike feitas para subida oferecem muita diferença quando são utilizadas para os seus respectivos fins, mas a maioria das marcas oferece bikes intermediárias com os formatos desejados, então, você não precisa comprar o melhor quadro para ter esse benefício.
Então… Existem outros exemplos e situações que justifiquem você gastar mais dinheiro com a MTB do que com a bike de estrada. A não ser que seu foco seja muito voltado para as competições de ciclismo de estrada, a relação custo benefício de ter uma MTB bem montada é bem maior do que ter uma Speed bem montada.
“Ah, Henrique, então você está dizendo que não vale a pena gastar dinheiro com Speed?”, Não! Não estou dizendo isso. Estou dizendo que se você tiver que escolher em qual bike investir, no MTB você terá um retorno de performance maior se você gastar mais dinheiro. Mas existem sim ganhos com os melhores equipamentos de ciclismo de estrada, mas no MTB eles são maiores.

MM

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Ironman Hawaí!

Está a chegar o grande dia do Ironman Hawaí!


MM

Bicicleta de 12 mil euros, roubada na Vuelta, posta à venda por 120 euros.


A polícia de Málaga anunciou ter recuperado a bicicleta da equipa australiana Orica-GreenEdge.

Orica-GreenEdge
A bicicleta está avaliada em 12 mil euros.
A polícia de Málaga revelou à Associated Press ter encontrado a bicicleta da equipa australiana Orica-GreenEdge roubada durante a Volta à Espanha.

O veículo, avaliado em cerca de 12 mil euros, foi colocado à venda numa loja de artigos usados por 120 euros. De acordo com o comunicado das autoridades, um residente de Málaga "com longo cadastro" vendeu a bicicleta à loja em questão, juntamente com outra bicicleta que também foi colocada à venda.
"Vamos oferecer uma camisola às riscas à pessoa que roubou a bicicleta da Orica-GreenEdge. A corrida dele termina na cadeia", escreveu a polícia local no Twitter.
MM

domingo, 13 de setembro de 2015

Resultados/Fotos Duatlo Vicentino.

FOTOS -
https://www.facebook.com/media/set/?set=a.906658479428274.1073741874.411360535624740&type=3
MM

Subida à Glória Jogos Santa Casa.


Subida à Glória Jogos Santa Casa.
Em 2014, o recordista Ricardo Marinheiro subiu os 265 metros da Calçada da Glória em 36,68 segundos... Este sábado vai pedalar de águia ao peito, será que vai voar mais alto? Quem consegue fazer melhor?
Dupla de ouro não deixa ninguém chegar-se à frente! Ricardo Marinheiro e Vanessa Fernandes repetem triunfo do ano passado!
http://bit.ly/SubidaGloria_Final
‪#‎subidagloria‬
http://bit.ly/SubidaGloria_Resultados

MM

sábado, 12 de setembro de 2015

Honda cria carro conceito feito para atender as necessidade dos ciclistas.

A Honda anunciou o carro Civic Tourer Active Life, que é um veículo conceito feito especificamente para atender as necessidades de ciclistas.
Honda_Carro_Conceito_2015_01
O carro será apresentado ao público no salão de Frankfurt na semana que vem.
Dentro do veículo, podem ser acomodadas duas bicicletas lado a lado. Ele possui uma estação de trabalho retrátil que permite que a pessoa faça manutenção da bicicleta.
Honda_Carro_Conceito_2015_03
O compartimento acida do teto também foi desenhado para acomodar roupas e acessórios de ciclistas.
Honda_Carro_Conceito_2015_02
Esse carro é extremamente econômico, ele faz mais de 160km com apenas 1 galão de gasolina (3,5l), o que é algo IMPRESSIONANTE. Tanto que ele está no Guinness Book of Records como o caro mais econômico do mundo.

MM