sexta-feira, 8 de maio de 2015

VÁ DE BIKE, VAI NA BOA E SEJA FELIZ!.

Vai de bike na boa
Eis o registro fotográfico de quem adora pedalar! Mas por que motivo é tão bom andar de bicicleta? Ora, porque o ciclismo é uma atividade perfeita para ficar em forma. Eu garanto!  O ciclismo é um dos poucos exercícios capazes de oferecer um bom treino aeróbico,  cardiovascular e,  ao mesmo tempo,   tonificar  e fortalecer os músculos. Embora os músculos das pernas trabalhem arduamente para aguentar o esforço de pedalar, o ciclismo vai fortalecer, tonificar e tornear todo o corpo.  Além de construir capacidade aeróbica, é claro! É ou não é um exercício perfeito?


Andar de bicicleta, faz subir o ritmo cardíaco. O  coração e os pulmões, têm de trabalhar arduamente para fornecer oxigênio aos músculos, tornando-lhes assim possível aguentar o esforço de pedalar. Quanto mais treino aeróbico, ou cárdio, fizer, mais saudável fica e mais eficiente o seu corpo se torna no fornecimento de oxigênio aos músculos. O exercício aeróbico regular, combinado com uma alimentação saudável e equilibrada, pode ajudá-lo a controlar o peso, a reduzir gordura corporal, a fortalecer o coração e  os vasos sanguíneos, a melhorar a circulação e até a baixar a pressão arterial.  E além disso tudo, desenvolve a capacidade muscular. Veja com mais riqueza de detalhes, tudo o que é trabalhado em seu corpo durante sua voltinha de bike:

Benefício para o corpo

Existe a ideia errada de que o ciclismo apenas trabalha os músculos das pernas e não os outros grupos musculares. Mas vou desmistificar este mito AGORA:  A ação de pedalar fortalece e tonifica os músculos da barriga das pernas e das coxas, mas outros músculos do tronco e dos braços têm também de trabalhar arduamente. A posição do corpo na bicicleta à medida que se pedala , oferece uma plataforma para se trabalhar os músculos do core. Estes são os músculos que suportam a coluna. Além das Fibras musculares de contração rápida e lenta trabalharem bastante! Vou explicar melhor: Os músculos consistem de dois tipos de fibras musculares: as de contração lenta e as de contração rápida. Todos os músculos do nosso corpo são constituídos por uma quantidade geneticamente determinada de ambas. As fibras musculares de contração lenta são mais abundantes e sustentam os esforços constantes e regulares, tais como o ciclismo de baixa a média intensidade, a corrida ou as caminhadas. 

As fibras musculares de contração rápida, sustentam explosões de esforço de alta intensidade que só podem ser mantidas durante curtos períodos de tempo, tais como o sprint ou o levantamento de pesos. As fibras musculares de contração rápida são mais espessas do que as de contração lenta. Por isso o trabalho dirigido a elas pode ajudar a dar aos músculos uma maior forma e definição. O ciclismo tonifica os músculos,  mas, como está equilibrado com um forte trabalho aeróbico, não vai construir volume muscular excessivo. O estímulo do máximo número possível de fibras musculares de contração rápida durante uma sessão de ciclismo tem um benefício adicional: aumenta a taxa de metabolismo, aumentando assim o número de calorias que queima, mesmo quando não estamos  praticando o  exercício físico. Conheça com mais detalhes  os tipos de fibras musculares trabalhados:

TRÊS TIPOS DE FIBRAS. O músculo é composto basicamente por três tipos de fibras musculares classificados pela VELOCIDADE de resposta de contração: Tipo I (fibras de contração lenta), Tipo IIa (fibras de contração rápida) e Tipo IIb (fibras de contração rápida).
fibras de contração lentaFIBRAS MUSCULARES TIPO I (CONTRAÇÃO LENTA)Este tipo de fibra possui resposta de contração lenta, é mais avermelhada (escura), pois possui maior número de capilares sangüíneos o que proporciona ao músculo maior suprimento de sangue e, conseqüentemente, de oxigênio. Apresenta também grande quantidade de mitocôndrias que são o "pulmão" da célula, responsáveis pela "respiração" celular, ou seja, usam o oxigênio para obter energia.
São fibras pequenas, com pouca capacidade de hipertrofiar, ou seja, de ganhar volume muscular. São resistentes à fadiga, pois possuem metabolismo predominantemente aeróbico (dependem de oxigênio para gerar energia), por isso respondem às atividades de longa distância. Os maratonistas apresentam predominância desse tipo de fibra.

FIBRAS MUSCULARES TIPO IIA (CONTRAÇÃO RÁPIDA). São fibras que apresentam rápida velocidade de contração. São mais pálidas que as fibras de contração lenta (Tipo I), pois possuem menor número de capilares sangüíneos apresentando, assim, menor suprimento de oxigênio. Apesar dessa característica possuem boa capacidade de metabolismo aeróbico fadigando menos que as fibras tipo IIb (contração rápida também).Sua capacidade de produzir energia utilizando oxigênio é inferior se COMPARADA às fibras de contração lenta. Porém, podem melhorar consideravelmente com o estímulo de contração, além de possuir metabolismo anaeróbico de média duração, ou seja, produzem energia mesmo sem a presença de oxigênio.
Fibras Musculares de contração rápida
Sendo assim, são fibras de características intermediárias que possuem grande capacidade de hipertrofia, isto é, ganham mais massa comparado às fibras musculares tipo IIb, porém apresentam menor capacidade de produzir força muscular. Essa fibra é mais desenvolvida em indivíduos que aparentam possuir maior volume de massa muscular, como por exemplo, os fisiculturistas.

FIBRAS MUSCULARES TIPO IIB (CONTRAÇÃO RÁPIDA). Essas fibras são mais pálidas que as fibras Tipo IIa pois possuem um número ainda menor de capilares sangüíneos e assim um suprimento sangüíneo ainda mais pobre que as anteriores, o que caracteriza um metabolismo predominantemente anaeróbico.

Fibras de Corredores
Elas são recrutadas em atividades que necessitam o uso de maior força muscular e por isso desenvolvem maior força numa única contração, porém são mais suscetíveis à fadiga. Ganham volume, aumentam facilmente de tamanho, mas se "cansam" rapidamente. São maiores que as fibras musculares de contração lenta (Tipo I). São predominantes em atletas que praticam atividades de grande potência num curto período de tempo, como corredores de 100 m.

Pois então amigos, foi interessante saber que  andar de bike deixa os nossos músculos mais tonificados. E no corpo inteirinho!  E ainda tem mais:  Mesmo depois  de você dar a sua pedalada habitual e parar, as calorias continuam sendo queimadas em virtude desse exercício. Não é maravilhoso? VIVA, AMAMOS ANDAR  DE BIKE!!! rsrs

Além do mais,  andar de bicicleta  nos remete  às gostosas  brincadeira da infância, quando aprendemos a dar a primeira volta, ainda com as rodinhas! :)  Pedalar é uma atividade aeróbica completa, que pode ser praticada por qualquer pessoa, independentemente da idade ou do condicionamento físico, e em diversos lugares: na rua, no parque, na areia da praia, na montanha... Se feita no mínimo três vezes por semana, durante cerca de 30 minutos, ainda é tiro e queda para fugir do sedentarismo, emagrecer, tonificar os músculos, prevenir e controlar doenças como diabetes e hipertensão, expulsar o colesterol ruim e fortalecer a condição cardiorrespiratória (coração e pulmão). Isso sem contar com a deliciosa sensação de liberdade que você tem quando está sentada em uma "magrela." “Pedalar é ótimo antídoto para acabar com o estresse, o mau humor e a ansiedade”, fala Fernando Sales, que é ciclista profissional e presidente da Fernando Sales Assessoria Esportiva (SP). É por essas e outras que a Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda o uso da bike como uma das saídas para melhorar a saúde pública mundial. O órgão enfatiza que os ciclistas não só se beneficiam como também “aumentam a interação social, o lazer, reduzem a violência, o tráfego urbano e a poluição”.

Benefícios de pedalar

Afine e fique firme! 
A bicicleta tonifica, em um único movimento, barriga, bumbum e pernas. A atividade ainda está no grupo das que mais emagrece. Pedalar, até mesmo em um ritmo de passeio, manda para o espaço de 400 a 800 calorias por hora. Mas, se você precisa afinar para ontem, tem que encarar o pedal no mínimo três vezes por semana, durante uma hora e com a Frequência Cardíaca Máxima (FCM) entre 70% e 80%, que é o percentual para a queima de gordura. Para saber qual é a sua FCM: subtraia a idade de 220 Batimentos Por Minuto (BPM) – que é o máximo que qualquer pessoa pode atingir – e multiplique o resultado por 70%. Por exemplo, uma pessoa de 30 anos: 220-30 = 190/190 x 70% = 133 BPM. Isso quer dizer que seu coração tem que bater 133 vezes em um minuto de atividade. Para captar os batimentos cardíacos, utilize um frequencímetro (monitor cardíaco).

Regras básicas para pedalar na boa e em segurança:
Antes de pedalar na rua, sozinha ou em grupo, você precisa aprender as três regras básicas da modalidade: girar, mudar a marcha e frear. O giro deve ser feito com toda a amplitude da perna. É importante flexionar um dos joelhos e com a planta do pé bem apoiada no pedal fazer um movimento circular. Enquanto um joelho é flexionado, o outro está estendido e assim por diante. Para mudar de marcha, use uma dose de leveza. “É comum encontrar ciclistas que fazem uma força enorme no pedal. isso é errado”, alerta Aulus sellmer, diretor técnico da Assessoria esportiva 4any1 (SP). impulsione a bike antes da mudança e não durante a troca. Também fique atenta ao freio. “O dianteiro, acionado pela mão esquerda, é o que oferece maior poder de frenagem. Mas nunca use-o sozinho, pois você pode derrapar e até perder o controle”,avisa Aulus. utilize sempre os dois freios e vá parando aos poucos. Use  também os acessórios e os equipamentos necessários  de segurança. Veja quais são:

equipamentos de segurança da bike
Saiba qual bicicleta escolher:
 Foi-se o tempo em que elas eram todas iguais. Hoje há modelos para diversos fins. A bicicleta mais comum e indicada para iniciantes é a mountain bike (MtB). “ela leva a vantagem de ser mais segura e cômoda. As principais características são o guidão reto ou curvo para cima, pneus grossos, que oferecem mais controle, e um câmbio que é adaptável a qualquer tipo de terreno”, explica Aulus. A MtB é mais versátil, se adapta a qualquer terreno, mas é muito lenta para o asfalto. Quem quer virar um expert de estrada deve optar pela speed. “ela é como um carro de F1: tem pneus e rodas mais estreitos e marchas que fazem você andar muito mais rápido”, informa Fernando Sales. só que esse tipo só anda em asfalto ou estrada, não sendo possível pedalar com ele na terra ou na grama, por exemplo.





Então, já está convencido que andar de bike é tudo de bom? Ainda não? Puxa, você é difícil de convencer hem? Mas as TOP 10 BENEFÍCIOS RÁPIDOS  E IMEDIATOS, vão te seduzir:

1. Melhora a saúde
2. Tonifica as curvas
Para quem quer trabalhar quadríceps (musculatura posterior de coxa),panturrilhaglúteos,abdômen ou extensores de coluna, este é o esporte certo.
3. Engrossa as pernas
É possível sim engrossar a pernas andando de bicicleta, mas isso depende da carga que se aplica durante a pedalada.
4. Ajuda a emagrecer 
Andar de bicicleta também pode ajudar na batalha contra a balança. Como é considerada uma atividade aeróbica,  se a pessoa andar, em média, 1h por dia e associar uma alimentação saudável, com certeza essa  terá a redução de peso.
5. Economiza quando se vai ao  trabalho pedalando
Se a pessoa não morar muito longe, pode ir trabalhar pedalando. Escolha uma bike adequada para o seu tipo físico e necessidades principais.Também se lembre de ter sempre por perto um bom cadeado para prender a bicicleta em locais públicos e estacionamentos privados.
bicicleta
6. Bike e metrô podem ser aliados
Em São Paulo, alguns metrôs possuem estacionamento para bikes, facilitando assim o usuário de pedalar, estacionar e depois seguir seu caminho pelo metrô ou ônibus. O metrô também permite o transporte da bike em suas estações em todos os dias da semana, em horários determinados. Aqui em Vitória-ES, existe um ônibus que faz o transporte de bicicletas pela terceira ponte, de Vila Velha a Vitória e vice-versa. Trata-se do projeto Bike GV. 
7. Andar de bike é mais barato
Andar de bicicleta pode ser até seis vezes mais econômico do que andar de carro e três vezes mais barato que o ônibus, segundo a conclusão do engenheiro Marcelo Daniel Coelho do Coppe (Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro).
8. Minimiza as emissões de gases de efeito estufa
Andar de bicicleta não exige motores, nem emite gases ofensivos ao meio ambiente. A única energia usada é a do seu próprio corpo.
9. Sensação de liberdade
Ir e vir de bicicleta não prende a pessoa com cintos, muito menos em trânsitos quilométricos. É possível só dar uma voltinha na praça, como também atravessar a cidade e conhecer pessoas novas. Quem pedala todos os dia um pouco, nem que seja pequenas distâncias, está sempre bem disposta, com energia renovada. Por ser quase uma extensão do corpo, a bike humaniza as pessoas e faz com que elas enxerguem os próprios limites. Assim, acabam respeitando mais os limites das outras pessoas.
10. Permite conhecer novos lugares e pessoas
Apostar nas pedaladas permite conhecer novos lugares e pessoas. É possível aproveitar uma volta na praça, assim como se arriscar a uma nova aventura na cidade. A dica pra quem quer começar, é apostar nos grupos de bike. Que tal?

Bem amigos, Se eu não convenci, eu  juro que  tentei! rsrs  E fica aqui mais o registro final de quem adora pedalar uma bike e vive uma vida bem feliz com a ajuda  e a companhia dela! Beijos!!! :)))))))

Vou de bike



MM


Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.