quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Ciclovia entre pólos da Universidade de Lisboa.

Ciclovia entre pólos da Universidade de Lisboa vence Orçamento Participativo.
Projeto 189
O projeto de conclusão de uma rede de ciclovias entre os diferentes pólos da Universidade de Lisboa espalhados pela cidade foi o vencedor do Orçamento Participativo do município da capital para 2014/2015, foi revelado nesta terça-feira numa cerimónia pública realizada nos paços do concelho.
A proposta “U-Lisboa em Bicicleta“, orçada em 500 mil euros e com um prazo de execução de ano e meio, conseguiu 4588 dos 36.032 votos recebidos pela autarquia.
Em segundo lugar ficou a proposta intitulada “Trilhos de Monsanto“, que visa a construção de uma rede a ser usada por “caminheiros e corredores” que pretendam desfrutar daquele Parque Florestal da cidade. Obteve 2452 votos, está avaliado em 450 mil euros e tem um prazo de conclusão igualmente de 18 meses.
O projeto da Universidade de Lisboa foi alvo de uma forte campanha nas redes sociais e envolveu um passeio de bicicleta para os promotores mostrarem onde deverão ser implantados os troços de ciclovia que, juntamente com a rede já existente, vai permitir criar um circuito na cidade com quase 30 quilómetros de extensão dedicado à circulação de bicicletas.
Nos projetos com orçamentos até 150 mil euros foram ainda eleitos para execução a criação de uma “Facha Ciclável” que promova a circulação de bicicletas no eixo formado pelas avenidas Almirante Reis, Guerra Junqueiro e Roma, com ligações ao eixo paralelo formado pela ligação entre as avenidas da Liberdade e da República.
Esta proposta tem ligações diretas com outra, denominada “Mobilidade Ciclável“, e que implica o encerramento do trânsito no sentido descente da avenida Almirante Reis entre a Alameda D. Afonso Henriques e o largo Marim Moniz, qua passaria a ficar dedicado aos transportes públicos numa das faixas e a bicicletas na outra.
Ainda nos projetos orçados abaixo dos 150 mil euros foram eleitos a requalificação da Azinhaga das Carmelitas, a intervenção de Arte Urbana na Rua Adriano Correia de Oliveira, a Alternância de Materiais na Calçada, a Arte de S. Cristóvão, a Formação Programação Lisboa – Desemprego Zero, a Implementação de Pomar na Quinta dos Lilazes, a criação da Aplicação Mobile – A nossa Lisboa, a requalificação do espaço exterior da Escola Básica da Alta de Lisboa e a Requalificação do Mercado de Alvalade Sul (Levante).

MM

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.