sábado, 31 de maio de 2014

Dia Mundial sem Tabaco.

FUMAR PARA QUÊ??
Sabias que...?
Existem dois dias ligados ao tabagismo? O dia 17 de Novembro – Dia do Não Fumador e o dia 31 de Maio – Dia Mundial Sem Tabaco?!!
  Fumar MATA! É a causa de um número muito elevado de mortes prematuras no nosso país, como aliás em todo o mundo.
  A adolescência representa a fatia do mercado que mais interessa às indústrias do fumo, pois dificilmente alguém se inicia no vício após os 18 a 20 anos de idade! SÊ RESPONSÁVEL! PELA TUA SAÚDE NÃO FUMES!!!
O hábito de fumar é adquirido, regra geral, durante o período da adolescência e as explicações para a sua aquisição estão hoje claramente identificadas., estão relacionadas com causas essencialmente sociais e comportamentais.
Algumas crianças experimentam o primeiro cigarro entre os 10 e os 14 anos de vida por mera curiosidade incutida pela sociedade de consumo ou para se afirmarem, em grupo, como elementos mais amadurecidos.
Depois dos 16 anos verifica-se uma etapa que se caracteriza por um dos dois tipos de atitude: pegar ou largar!
  Quem opta por fumar regularmente verifica que, a pouco e pouco, vai aumentado o número de cigarros fumados por dia...
  O cigarro contém milhares de substâncias tóxicas irritantes, cancerígenas e radioactivas!
  Fumar provoca inúmeras doenças. A doença mais vulgar associada ao consumo do tabaco é o cancro, que pode ocorrer não apenas nos pulmões, mas também na faringe, na laringe e na boca.
        Os problemas respiratórios também se agravam, podendo surgir bronquites crónicas ou enfisemas, ficando os fumadores mais susceptíveis de apanhar constipações!
        O sistema cardiovascular é igualmente afectado na medida em que o tabagismo é, sem dúvida, um risco cardíaco, favorecendo o aparecimento da Angina de Peito e do Enfarte Miocárdio.
 A lista de problemas associados ao tabaco é extensa... eis mais alguns exemplos:
    - o envelhecimento precoce com o aparecimento de rugas e cabelos brancos;
    - o cheiro do tabaco é bastante desagradável e bastante difícil de retirar das roupas e das casas, mas também leva a uma diminuição das capacidades olfactivas;
    - os dentes também sofrem as consequências do tabaco, enfraquecem e ficam amarelados;
    - o tabaco pode causar infertilidade tanto em homens como em mulheres, ocasionando ainda outras doenças do aparelho reprodutor.
    - (...)
Fumar pode duplicar o risco do mal de Alzheimer e a demência senil atinge mais os fumantes!
Segundo o Prof. J. Gorjão Clara, Coordenador do Centro de Investigação do INCP, “as «doenças do tabaco» são as mais eficazmente evitáveis de todas as doenças que enchem os tratados de medicina...porque para tanto é suficiente deixar de fumar!”
O tabaco pode provocar a mesma dependência que as drogas duras segundo um grupo de especialistas norte-americano, que reclama ajuda governamental para os fumadores que queiram abandonar o tabagismo.
    Os fumadores têm em média menos 10 anos de vida do que os não fumadores. Isto porque as substâncias absorvidas destroem alguns órgãos importantes ao mesmo tempo em que fragilizam o organismo em relação a vírus.
Nos últimos 30 anos assistiu-se a uma mudança de hábitos nas mulheres. Até aos anos 60, fumar, era um comportamento quase exclusivo do homem. Algumas décadas antes era pouco aceite socialmente, que uma senhora fumasse!
No nosso país o consumo do tabaco atinge cerca de 20 por cento da população, com predomínio de três homens e meio para cada mulher.
Infelizmente, todos somos, por vezes, fumadores passivos (aqueles que respiram o fumo dos outros). Na realidade, o fumador passivo acaba por absorver tantas substâncias tóxicas e cancerinogéneas como o fumador activo! Evita estar perto de alguém que esteja a fumar!
O número de fumadores passivos cresce a par do número de fumadores.
A Organização Mundial de Saúde estima que mais de 100 milhões de pessoas irão morrer devido ao consumo do tabaco nas duas primeiras décadas do século XXI
Existe uma linha SOS – Deixar de Fumar que é 808208888 e funciona no Instituto de Cardiologia Preventiva, das 13h às 21h.

Ana M.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.