quarta-feira, 5 de março de 2014

Cheira-me que talvez tenha de trocar de capacete!

Uma equipa de investigadores do "Fraunhofer Institute for Mechanics of Materials IWM em Freiburg" desenvolveram um novo processo de fabrico de capacetes para ciclismo. O processo permite a inclusão na produção do capacete de micro cápsulas que contém um óleo criador de mau odor. Uma camada de resina protege as cápsulas de modo a selar a entrada e o contato com o ar.

Quando o capacete recebe uma pancada forte, danifica a resina protectora e assim liberta-se um forte odor, dando indicação de que é necessário substituir o capacete pois este já não está em condições de ser utilizado por ter a sua estrutura comprometida e não dar a protecção necessária ao seu utilizador.

Dr. Christof Koplin, um dos cientistas do IWM, disse:
"Os ciclistas muitas vezes substituem os seus capacetes sem necessidade depois de os deixarem cair ao chão, porque não conseguem identificar se ficou danificado ou não. As cápsulas vêm eliminar este problema. Se o capacete sofrer algum dano, as substâncias mal cheirosas são libertadas"


MM

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.