quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Happy Halloween.

Hoje, dia 31 de outubro, é comemorado o Halloween. Conhecido como o Dia das Bruxas, o Halloween é um evento tradicional e cultural, que ocorre nos países anglo-saxônicos, com especial relevância nos Estados Unidos, Canadá, Irlanda e Reino Unido, tendo como base as celebrações dos antigos povos. Muita gente não sabe, mas a palavra Halloween tem origem na Igreja católica. Vem da tradição do dia 1º de novembro, o Dia de Todos os Santos, é um dia católico de observância em honra de santos.
 No século V DC, na Irlanda Céltica, o verão oficialmente se concluía em 31 de outubro.
Alguns bruxos acreditavam que a origem do nome vem da palavra hallowinas - nome dado às guardiãs femininas do saber oculto das terras do norte (Escandinávia), mas os estudiosos diziam que a palavra Halloween surgiu de uma versão encurtada de "All Hallows' Even" (Noite de Todos os Santos), a véspera do Dia de Todos os Santos (All Hallows' Day). Hallow é uma palavra do inglês antigo para "pessoa santa" e o dia de todas as "pessoas santas" é apenas um outro nome para Dia de Todos os Santos, o dia em que os católicos homenageiam todos os santos.

Uma das lendas de origem celta fala que os espíritos de todos que morreram ao longo daquele ano voltariam à procura de corpos vivos para possuir e usar pelo próximo ano. Os celtas acreditavam ser a única chance de vida após a morte. Como os vivos não queriam ser possuídos, na noite do dia 31 de outubro, apagavam fogueiras de suas , para que elas se tornassem frias e desagradáveis, colocavam fantasias e ruidosamente desfilavam em torno do bairro, sendo tão destrutivos quanto possível, a fim de assustar os que procuravam corpos para possuir. Os Romanos adotaram as práticas célticas, mas no primeiro século depois de Cristo, eles as abandonaram. O Halloween foi levado para os Estados Unidos em 1840, por imigrantes irlandeses que fugiam da fome pela qual seu país passava e passou ser conhecido como o "Dia das Bruxas".

O Halloween no se infiltrou em nossas comemorações de forma tímida, pois o Brasil, dedica o dia 2 de novembro, aos entes queridos que já se foram (Dia de Finados). Apesar da pequena influência da data em escolas, clubes, casas noturnas e shoppings, muitos brasileiros criticam o ato de importar a cultura americana, já que o país tem grande diversidade folclórica que não é aproveitada e nem comemorada. Mesmo assim, as festas de Halloween no Brasil tem se tornado comuns, principalmente entre o público jovem que se reúne em festas temáticas com de terror.

Bom, acreditando ou não na polêmica que o Halloween levanta todos os anos de ser uma data macabra ou não, eu vou aproveitar a data para assistir os bons de suspense e de terror que passam na a cabo durante esta data que nada mais é do que mais uma data comemorativa. E que venha o Papai Noel!

 Escrito por Mary Camata é jornalista pós-graduada e editora-chefe do Jornal Popular.
MM

1º Passeio de Btt Café Fidélius 09 Novembro 2013 em Sousel.

Inscrição: 15 pedaladas.
Só passeio 9 pedaladas.
Todos os participantes têm direito a seguro e uma camisola. 
A gerência agradecia, que os participantes se deslocassem ao café
Pastelaria Fidelius Diogo Matão.
No final haverá um almoço de convívio.

 Contacto 967548204
mail: diogomatao1@hotmail.com
 
MM

domingo, 27 de outubro de 2013

A câmara Garmin VIRB.

Garmin lançou as câmaras de ação VIRB e VIRB Elite para concorrer com as GoPro.
A empresa Garmin, especialista em GPS, resolveu entrar no mercado de câmaras de ação. Logicamente, não deixou de colocar um GPS nas máquinas!
VIRB_01
A câmara vem em dois modelos VIRB (224,253€) e VIRB Elite (299,007€). A versão elite vem com GPS e Wi-Fi. Os preços são exatamente os mesmos das GoPro Hero 3 Silver e Hero 3 Black.
A VIRB já vem com um visor de 1,4 polegada para visualizar o que filmou e de acordo com a Garmin a bateria dura 3 horas de filmagem ininterrupta na qualidade de 1080P.
VIRB_02
Aceita cartões SD com até 64Gb, o que na qualidade máxima dá aproximadamente 7 horas de filmagem.
Com o sistema Wi-Fi, a câmara pode ser conectada ao iPhone ou Android através de um aplicativo. Além do que o novo Garmin Edge 810, terá uma atualização de software, que permitirá controlar a câmara do ciclo computador.
Não há muitas informações sobre os suportes disponíveis…
Querendo ou não, até hoje este é a grande diferencia da GoPro…
Pelas imagens do vídeo, a câmara parece funcionar muito bem!
Nalguns momentos a imagem parece ficar um pouco tremida, mas em outros fica boa…
Nem no vídeo nem no site eles dão muitos detalhes sobre os suportes disponíveis e nem quantos FPS (quadros por segundo) ela filma…
 Para saberem mais detalhes, site da VIRB.
Prestem atenção a mais algumas especificações da câmara…
 
A câmara tem as seguintes especificações:
  • Sensor de fotografia com 16MP
  • Tipo de arquivo .mp4
  • 1080p HD video: 1920 × 1080; 30 fps
  • 960p HD video: 1280 × 960; 30,60 fps
  • 720p HD video: 1280 × 720; 30,60 fps
  • WVGA (slow motion): 854 × 480; 120,60 fps
  • Resolução das fotos: 16 MP (4664*3496); 12 MP (4664*2632); 8 MP (3264*2448)

Suportes disponíveis 

Virb01
Virb_01
Existem também os suportes adesivos, que vem junto com a câmara quando você compra, assim como a caixa a prova d’água.
Esperamos assim ter tirado todas as duvidas e dado alguns esclarecimentos.
Visto: Por aí.
 
MM

Bike Dock.

Boas pessoal, eis aqui o protótipo que se chama Bike Dock.
É um suporte metálico que se dobra e fica um pequeno quadro na parede.
Bike_Dock
O suporte é uma pequena prateleira, com ganchos nas pontas para prender o quadro da bike e vários locais para pendurar seus acessórios. O diferencial desse produto, é que ele possui um sistema de suporte retrátil, que permite com que toda a estrutura se dobre sobre a parede.
Dock
O projeto está em fase de financiamento coletivo, para saber detalhes, clique aqui.
Cyclocross Entryway...
 
MM

 

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Mudança de Hora.

A mudança do horário de Inverno verificar-se-á:
 
Na noite de 26 para 27 de Outubro de 2013.

   Às 2:00 da manhã o relógio muda para a 1:00 da manhã   

Dando assim muito menos tempo para andar de bike e ainda mais...temos o tempo mudado.
 
Ana M.




Projeto "Pedalar com alma".

JOSÉ FIGUEIREDO PEDALOU 2.000 KMS.
 

O ciclista amador José Figueiredo chega a Cascais, após percorrer 700 dos 2.000 quilómetros que  pedalou até 8 de setembro, em Portugal e Espanha, numa iniciativa solidária para divulgar o trabalho da organização não-governamental Helpo.

O responsável pelo projeto "Pedalar com Alma" foi recebido pelo presidente da Câmara de Cascais, cidade que acolhe a sede da Helpo, numa homenagem que contou com a presença do selecionador português de futebol, Paulo Bento, um dos rostos da organização humanitária que apoia milhares de crianças em Moçambique e São Tomé e Príncipe.

José Figueiredo, que desde 2009 se associa a causas solidárias, decidiu este ano pedalar para dar visibilidade à Helpo. O ciclista começou a viagem a 8 de agosto, em Troia, e espera chegar a Barcelos a 8 de setembro (32 dias depois), com passagem pela Costa Vicentina, no Algarve, e pelo Caminho de Santiago de Compostela, em Espanha, num total de 2.000 quilómetros.
 "Apaixonei-me pelo trabalho e pelos projetos desenvolvidos pela Helpo. A Madre Teresa de Calcutá dizia que o que ela fazia era uma gota no oceano, mas sem essa gota o oceano seria mais pequeno. Enquanto houver crianças com fome, não podemos parar. Esta foi a forma que encontrei para ajudar", sublinhou o ciclista, ao lado do Joãozinho, a mascote da ala pediátrica do Hospital de São João, no Porto, que também se associou à iniciativa.

Paulo Bento revelou que já apadrinhou quatro crianças, ao abrigo dos programas de Apadrinhamento à Distância desenvolvidos pela Helpo, e elogiou a iniciativa do ciclista de 34 anos.
"Claro que quem faz uma ação destas fá-la com prazer e também com sacrifício, mas tem um fator extremamente importante ligado a ele que é a questão da solidariedade. Num contexto de dificuldade, ele pensa não só em superar esse contexto de dificuldade, mas pensa em superar esse contexto ajudando os outros", destacou o selecionador nacional, um dos embaixadores da Helpo.
 
MM

Nova Orbea Rolls 27,5.

     De alguma forma, conseguindo manter isso em segredo durante todo o show da temporada comercial, Orbea acaba de lançar a sua mais nova Bicicleta de Montanha - a 27.5 "com rodas Rallon R4. Como o sucessor do poderoso Rallon R3 a nova bike tem rodas maiores.
Construído em torno de 160 milímetros de curso traseiro, o novo quadro liga Tricone cresceu 10 milímetros sobre o R3. O butted 7000 moldura de alumínio série hydroformed e triplos vem em 6,95 bls (3,15 kg) para um quadro médio e choque e inclui recursos como um novo braço oscilante oco. A fim de estar no topo do pódio, ou o primeiro entre seus amigos, a geometria tem evoluído com um menor suporte inferior, escoras mais curtas, a mais cabine e alcance, uma base de roda mais, melhor posição de pedalada (75 º / 74,5 º), e escoras 420 milímetros curtas.

  Para coroar tudo isso, esses números são todos ajustáveis ​​girando o pino de montagem de choque que derruba o BB por sete milímetros e afrouxa o ângulo do tubo de cabeça, 5 º (66,5 º / 66 º).
MM

Guia de tamanhos | Size guide.


Guia de tamanhos | Size guide

Bicicletas: Montanha (BTT) · Lazer (City Bike) | Bicycles: Mountain · Touring (City Bike)

kidsbike 
Bicicleta de Estrada | Road Bike
kidsbike 
Bicicleta de Criança | Kids' Bike

kidsbike

MM


Ciclista morre atropelado em Vila Real.

O estudante universitário de 19 anos atropelado na quarta-feira dia 24 Outubro 2014. quando circulava de bicicleta, em Vila Real, acabou por morrer na madrugada desta quinta-feira no hospital, disse à agência Lusa fonte da PSP.
Acidentes
 
O jovem, natural do Brasil, estudava Arquitetura Paisagista na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD).
O acidente ocorreu cerca das 20:30 de quarta-feira, na avenida da Noruega, quando o automóvel entrou em despiste e embateu no ciclista que circulava em sentido contrário.
Segundo o comandante dos bombeiros da Cruz Branca, Idílio Nunes, tanto o carro, onde seguiam duas pessoas, como o ciclista, caíram cerca de “dois a três metros” para um ribeiro.
O universitário foi transportado para o Hospital de Vila Real, localizado a poucos metros do local do acidente, com um traumatismo crânio encefálico e ainda fraturas num braço e numa perna.
Fonte da PSP referiu que o jovem não resistiu aos ferimentos e acabou por morrer durante a madrugada.
Na altura do acidente, os bombeiros referiram que o condutor do automóvel se tinha ausentado do local, mas entretanto, foi identificado pela PSP.
A passageira do carro ficou também com ferimentos ligeiros.Lusa
Vamos mas é a ter muito cuidado companheiros do ciclismo, pois há quem ande na estrada e não tenha cuidado nenhum.
 
MM

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Carros vs. bicicletas.

Carros vs. bicicletas. Uma guerra que o Código da Estrada pretende terminar.
Em 2014, as regras mudam: a bicicleta deixará de ceder passagem a carros. Mas, na estrada, ciclistas e automobilistas ainda se queixam
João Pedro Barreto admite fazê-lo "na maioria das vezes" que algum carro o ultrapassa demasiado perto, ou quando recebe uma "buzinadela" a exigir que saia da estrada e salte para o passeio. Num semáforo mais à frente, o ciclista pára ao lado do carro em causa e explica ao condutor os porquês de ser "perigoso" o que acabou de fazer. Mas a partir de 3 de Janeiro poderá deixar de ter motivos de queixa - os automóveis vão passar a ser obrigados a manter uma distância mínima de 1,5 metros quando ultrapassarem um velocípede na estrada. Esta é uma entre várias novidades que, em 2014, passarão a habitar o Código da Estrada (CE).
Nas ruas, as alterações serão convertidas em novas regras para regular a convivência entre velocípedes e carros. Bicicletas com prioridade quando vierem da direita, num cruzamento sem um semáforo a ditar as regras e ciclistas a poderem circular lado a lado ou sem obrigação de estarem sempre em ciclovias são três exemplos. A partir de 3 de Janeiro será assim. 
É "dos atos mais indutores de medo que se pode imaginar". Nestes casos, as novas regras do CE - publicadas a 3 de Setembro em Diário da República - apenas vão corrigir a questão das ultrapassagens.
Paulo Almeida não é tão drástico. No Porto, onde passa os dias a pedalar, vê uma "boa" convivência entre automobilistas e ciclistas, cingindo a "pontuais" os casos que o levam a pensar o contrário, como as "razias" de certos carros e a "falta de calma" a ultrapassarem velocípedes. Ainda nota "algum preconceito" em relação à bicicleta vindo de quem está ao volante de um carro. Reconhece serem de "louvar" as alterações que entram em vigor em Janeiro, lembrando, contudo, a "urgência" de aplicar medidas de acalmia do tráfego em certos locais da cidade - com a criação de zonas com o limite de 20 ou 30 km/h.
Não se muda por decreto Todos os problemas mencionados são colocados por Ana Pereira no mesmo saco: no das situações de desrespeito, que acontecem tanto "quando se circula a pé ou de carro", defende a cofundadora da Cenas a Pedal.
Sentada na bicicleta, Ana também critica os condutores quando o tema são ultrapassagens. Mas do lado inverso. "Não se sabem chegar para a direita nos congestionamentos, para permitir a ultrapassagem dos veículos de duas rodas", explicou, sublinhando que "quase todos os ciclistas também são, num momento ou outro, automobilistas". A "negligência" e "ignorância" foram os adjetivos que colou aos condutores, embora salientando, como Paulo, que o "desrespeito ativo" é algo que por "raras" vezes deteta.
E pode a 13.a alteração ao Código da Estrada erradicar de uma vez tudo isto? Ana responde com um "não" desconfiado, pois "não se mudam comportamentos por decreto". Falta a divulgação. O i quis testar as suas palavras e as respostas deram-lhe razão: só nove de 30 pessoas inquiridas online, entre os 23 e os 56 anos, admitiram estar a par de que o CE vai ser alterado, com apenas três delas a conseguirem identificar uma mudança em concreto. Além da divulgação para fazer chegar aos cidadãos "o que mudou", Ana enalteceu o fator educação, "saber o que mudou e porquê", e da fiscalização, para "[o cidadão] saber que, se não cumpre, há consequências". Ainda assim, diz, "as grandes mudanças estão feitas".
Do lado dos automobilistas há até uma voz que antevê um aumento do número de acidentes rodoviários devido "à permissividade que os ciclistas terão" com as mudanças na legislação. Carlos Barbosa não tem dúvidas: "Esta nova lei vai permitir que haja muito mais desastres e ciclistas a serem derrubados", antecipa o presidente do Automóvel Clube de Portugal (ACP), ao criticar a nova permissão de os ciclistas "andarem lado a lado".
Em 2012, a Autoridade Nacional da Segurança Rodoviária contabilizou 1487 acidentes nas estradas envolvendo velocípedes - o equivalente a 3% da sinistralidade rodoviária em Portugal nesse ano. Nas estradas, o dirigente estima que "o convívio são" entre carros e bicicletas demore "algum tempo a chegar" e argumenta que Portugal não tem "tradição de ciclismo" e "as vias" do país "não foram construídas para andarem ciclistas".
Quem não vê problemas de maior é Ricardo Cruz. No Porto, o conta-quilómetros das suas pernas chega, em média, aos 600 km por mês, espalhados por pedaladas diárias onde diz sentir "um enorme respeito pelo condutor de bicicleta". O membro da MUBi (Associação para a Mobilidade Urbana em Bicicleta) não gosta dos termos "ciclista "e "automobilista", evitando-os por parecerem "seitas rivais" e por "não sentir que haja um clima de guerra". Pelo menos nas "estradas urbanas"; nas palavras, é outra coisa.
MM

Descubra a regulação ideal.

Saiba como meter a sua bike na posição ideal para uma boa pedalada...
O perfeito ajuste do ciclista à bicicleta é fundamental para o bom desempenho do conjunto homem/bicicleta, ambos devem estar perfeitamente adaptados.
Não é raro encontrarmos ciclistas de 1,90m pedalando bicicletas que foram projetadas para serem usadas por ciclistas de 1,60m.
Dahhh!!! então bicicleta não é tudo a mesma coisa?
Claro que não! Bike tem números e tamanhos, sim!
A principal medida a ser escolhida é a do tamanho do quadro.
Problem?
Altura do selim
Após encontrar o tamanho ideal de quadro, o próximo passo é regular a altura do selim.
O ciclismo é um desporto onde as pernas do atleta fazem o maior trabalho, e é por esse motivo que a medida mais importante de uma bicicleta para o ciclista é a altura do selim.
Um selim muito baixo faz com que o ciclista trabalhe com as pernas encurtadas, que além de não produzirem a força necessária ainda vão sobrecarregar ligamentos, músculos, tendões e cartilagens. Da mesma forma, um selim excessivamente alto faz com que a pedalada não seja 100% eficiente e pode provocar lesões com o passar do tempo.
O ajuste fino da altura de selim é algo bem particular. O que é ideal para uns, pode ser desconfortável para outros.
O técnico de ciclismo francês Cyrille Guimard desenvolveu a seguinte fórmula: altura do cavalo x 0,883, medida em linha reta do centro do eixo do movimento central até a parte alta do centro do selim.
Obs.: Para encontrar o tamanho de seu cavalo: Fique descalço, com as pernas ligeiramente afastadas, e vista os calções de ciclista. Encoste-se a uma parede, faça uma marca com um lápis a altura do seu cavalo na parede e meça a altura com uma fita métrica.

A altura do cavalo é a distância das solas dos pés até a região que vai apoiada no selim.
Entretanto, é bem válida a regra que diz que a altura do selim deve ser determinada com o ciclista sentado no selim com os calcanhares apoiados na parte traseira do pedal, a perna deve ficar quase totalmente estendida. Este “quase” é a parte subjetiva do ajuste e cada ciclista deve achar seu ponto ideal na regulação da altura do selim. Fórmulas podem falhar, as suas impressões não!
Em bikes full suspension (com amortecedor também na traseira) a altura do selim deve levar em consideração o fato de que ao sentar-se na bike, a suspensão afunda devido ao peso. Nesse caso, compense esse afundamento elevando a altura do selim. Em geral algo entre 1 e 2,5 cm, de acordo com o peso do ciclista.
Dicas:
  • A altura do selim pode variar entre o início e o final da temporada em 1 cm ou mais, dependendo da amplitude de trabalho dos músculos;
  • Aumente ou abaixe seu selim de meio em meio centímetro até encontrar a altura ideal, se necessário ande um pouco com a bike;
  • Após encontrar a sua altura ideal (e testar por muitos quilômetros), faça uma marca no espigão para facilitar o ajuste após revisões, transportes da bike etc;
  • No inverno, com bermudas ou calças mais grossas, desça um pouco a altura do selim;
  • Conforto é fundamental! Encontre a altura que melhor proporcione conforto sem comprometer sua performance e que não cause lesões.
Regulação dos cleats
Se usa pedais plataforma – aqueles normais -, desconsidere este tópico.
Após encontrada a altura ideal do selim, o próximo passo é fixar os cleats nas sapatilhas. A posição mais usual de fixação é aquela que faz a pedalada ser paralela à bicicleta. Alguns ciclistas preferem a posição dos pés levemente abertos para fora ou, ainda, levemente fechados para dentro. O importante é que os cleats fiquem fixados no centro da “bola do pé”, para garantir mais apoio na pedalada. Novamente cada ciclista deve achar a posição que lhe confere maior conforto.
Importante: A posição inadequada dos cleats podem gerar dores nos joelhos e na panturrilha. Na dúvida consulte um ciclista ou mecânico experiente para ajudar no ajuste.
 
Posição do selim
Ciclistas profissionais, na sua maioria, deixam o selim nivelado paralelo ao solo. Alguns preferem a ponta do selim levemente apontando para baixo.
O selim é fixo em dois trilhos e podem ser regulados mais para frente ou para trás. Alguns selins dispõem de uma escala graduada para facilitar este ajuste.
Existe uma técnica especial para se encontrar o ponto ideal do selim: com um prumo de pedreiro (ou mesmo um prumo improvisado com um peso amarrado a uma linha) e os pés encaixados nos pedais – que devem estar paralelos ao solo – posicione a linha junto à rótula (patela). Se a linha passar junto ao eixo do pedal a posição está correta. Se ela passar até meio centímetro para trás ou para frente do eixo do pedal, considere que está ok. Diferenças maiores que um centímetro devem ser corrigidas movendo-se o selim.
Atenção: Após regulada a posição do selim, verifique novamente se a altura do selim ainda está correta para você.
Comprimento do avanço
Não há regras fixas nem fórmulas mágicas para se determinar o tamanho correto do avanço. Há algumas dicas para saber se o comprimento do avanço está adequado ao ciclista:
Nas bikes de speed, com as mãos na parte alta do guiador – na maçaneta dos travões – o ciclista pedalando confortavelmente terá o cubo dianteiro encoberto pelo tubo do guiador.
Com as mãos na parte baixa do guiador – em posição aerodinâmica – os joelhos e cotovelos chegam a tocarem-se de leve na passagem das pernas pelo ponto morto superior da pedalada.
O comprimento do avanço é responsável pelo conforto dos braços e da parte superior do corpo do atleta. Uma mesa muito curta vai ocasionar dores nos ombros, um avanço muito longo vai produzir dores nos braços e formigamento nas mãos. O mercado oferece medidas de avanços que variam entre 90 e 140mm. Substitua o seu, caso ache necessário.
Altura do avanço mesa
Varia de acordo com o gosto pessoal, o alongamento da musculatura das costas e o propósito da pedalada. Em geral ciclistas profissionais usam o avanço cerca de 2-3 polegadas mais baixas que a altura do selim.
Para mais conforto use o avanço mais alto e para mais aerodinâmica baixe o avanço . Faça testes e veja a altura que melhor se adapta a você.
Avanços mais antigos, com parafusos expander podem ter a sua altura alterada facilmente.
 
Largura do Volante
Os guiadores são fabricados em tamanhos que variam de 38 a 42 cm de largura. Eles devem corresponder a mais ou menos a largura dos seus ombros, ou até mesmo um pouco mais largos para o ciclista respirar melhor e ter mais conforto.
 
Manetes
O principal na hora de ajustar a posição das manetes é garantir um bom acionamento dos travões. Numa mountain bike, em geral, o manete ficará posicionada de maneira a seguir o mesmo ângulo dos braços do ciclista.
Nas bikes de ciclismo, a parte baixa do guiador deve estar bem paralela ao solo e as alavancas do travão ficam posicionadas no meio da curva do Volante.
 
Tamanho da pedaleira
Existem diferentes comprimentos de pedaleiras no mercado. Quanto mais longo o braço da pedaleira mais potência ela produz, em contrapartida, fica mais difícil manter altos giros de pedalada.
Alguns técnicos recomendam as seguintes medidas:
  • Cavalo de até 73,6 cm – pedaleiras 165 mm
  • Cavalo entre 73,6 e 81 cm – pedaleiras 170 mm
  • Cavalo entre 81 e 86,3 cm – pedaleiras 172,5 mm
  • Cavalo com mais de 86,3 cm – pedaleiras 175 mm
A perfeita regulação da sua bicicleta é a garantia que você não terá dores durante a pedalada e que você vai aproveitar ao máximo a energia gasta no exercício.
Na dúvida consulte um especialista de bike.
 
MM

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Ciclista baleado enquanto urinava em Anadia.

Anadia: Ciclista baleado enquanto urinava.

Caçador, de Famalicão, queria apanhar um coelho e não viu a vítima, no Alto da Marreca. Homem foi socorrido pelo INEM e levado ao hospital de Coimbra.
Dois ciclistas de Poutena, em Anadia, passaram a manhã de ontem em treinos de BTT e, ao chegarem ao Alto da Marreca, na freguesia de São Lourenço do Bairro, fizeram uma pausa. Um deles, Paulo Rocha, de 38 anos, estava a urinar junto a uma árvore quando foi atingido nas pernas e na barriga por oito chumbos de três tiros de caçadeira. Os disparos foram feitos por um caçador de Famalicão, que tentava apanhar um coelho e não viu a vítima.

"O homem não se apercebeu que estávamos ali, disparou um tiro em direção ao animal, acertou me e eu gritei, mas ele não ouviu e ainda fez mais dois disparos", contou ao CM. O atleta federado de BTT foi assistido no local, junto aos terrenos da adega Colinas de São Lourenço, e levado ao Hospital Universitário de Coimbra, de onde recebeu alta às 17h00.

O colega, de 31 anos, não sofreu qualquer ferimento, mas, garante Lídia Silva, "estava bastante aflito" enquanto esperava pela chegada da ambulância.

"Esta foi a segunda vez que fomos àqueles terrenos treinar, e é certo que, depois disto, nunca mais lá volto", confessou o ciclista, que se preparava para uma prova a realizar no dia 10.

José Dias, de 78 anos, estava na missa quando ouviu as sirenes do INEM e saiu da igreja para saber quem pedia socorro. "Disseram-me que quem disparou é familiar de José Barbeiro, um caçador que habitualmente visita aquela zona em época de caça."

Apesar de o atirador ter licença, a arma foi-lhe apreendida pelos militares da GNR.
 
MM

SHIMANO - 2014

Shimano 2014 - Lançamentos
Divulgação
As principais novidades são vistas com o novo XC90, XC70 e CX61 que substituirão os M315, M240 e XC60. A nova linha XC promete oferecer maior eficiência, conforto e baixo peso.
O XC90 está no topo do design e faz lembrar uma chuteira de futebol, as sugestões dos usuários foram acatadas com um design minimalista.

XC70

 

R83

Uma sapatilha de corrida que substitui a atual WR-82, com peso de 486 g o par.

XC90


Pedal R550

O novo Shimano R550 feito em carbono, imita os últimos pedais Dura-Ace e Ultegra mas com 310g o par.
 
MM

Capture Camera Clip.

Este é o Capture Camera Clip. Um protótipo que foi colocado no KickStarter para financiamento coletivo e conseguiu 6 vezes a verba necessária para produzir o suporte.
Capture_clip
Para quem mexe muito com fotografia e com câmaras profissionais e até mesmo que usa GoPro, ou outras câmaras, conseguem perceber o tanto que esse produto é fantástico!
A facilidade de colocar e tirar câmara de um lugar seguro é impressionante.
Vejam ao vídeo…

 
MM

SRAM X01 groupset. - First Look - Lançamento 2014 -

Lançamento 2014 - SRAM X01 groupset - primeiro olhar


Cassete de 11 velocidades com correspondência corpo da roda livre.

Os primeiros 10 engrenagens são usinadas a partir de uma peça de aço. Apenas a roda dentada é feita de alumínio, que empurra a massa para 275g magra especificado.

Sram X01 pedaleira.


 Vasta gama de tamanhos de pedaleira pode satisfazer todos os tipos de BTTistas.
geometria dente Conhecido do XX1.

O novo grupo X01, os clientes têm a escolha entre aderência e mudança gatilho.

O X01 SRAM de 11 velocidades desviador traseiro.

 lotes de componentes do circuito de SRAM.

MM













Rock Shox - 2014.


Novidades na Kompressor Bike : http://ow.ly/o7TJ6
 
MM

domingo, 20 de outubro de 2013

Focus SAM 2014.

Nova Focus SAM 2014, a porta de entrada para o enduro.

focus-sam-enduro-2014-action-by-fabian-rapp
Sem sombra de dúvidas, o enduro é a modalidade do mountain bike que mais tem crescido atualmente. A demanda por bicicletas com maior curso de amortecimento, aliadas a capacidade de se pedalar nas subidas sem perda de rendimento, tem levado os fabricantes de bicicletas a investirem no desenvolvimento de bikes voltadas para o público que, antes de tudo, quer se divertir praticando o mountain bike.
A marca alemã Focus nunca foi especialmente lembrada pelo design de suas bicicletas full suspension, um tanto quanto desfasadas e marcadas pelo peculiar desenho de seu modelo FSL.
Apesar disso, o fabricante aposta todas as suas fichas em um novo modelo de bicicleta para o seguimento do enduro, com o melhor que a tecnologia pode oferecer. Com uma linha geral muito mais simples que suas criações anteriores, deram vida a um modelo que busca, como quase todas neste seguimento, combinar leveza e capacidade de escalar de um modelo all-mountain com o amortecimento  de uma bicicleta de enduro pura. A Focus SAM, é a resposta do fabricante para este segmento do mercado e será disponibilizada em 3 configurações.
Seguindo a tendência mundial, o quadro é construído sobre rodas aro 650b (27.5 polegadas) que, diga-se de passagem, trata-se da medida de rodas mais popular entre as bicicletas de Enduro de nova geração. Com nada menos que 160mm de curso de amortecimento, a principal preocupação dos projetistas da bike foi trabalhar na suspensão para permitir que tanta capacidade de amortecimento não seja também um lastro prejudicial nas subidas.
Algumas das características de sua geometria são os stays curtos (438mm) com um tubo superior mais longo (595mm no quadro tamanho M), em conjunto com um ângulo da caixa de direção em 65.8º. O material utilizado para a confeção do quadro foi o alumínio.
Estes serão os 3 modelos disponíveis na linha Focus SAM:

Focus SAM 1.0

sam1
  • Amortecedor dianteiro Rock Shox Pike RC Dual Position Air 160mm/120mm
  • Amortecedor traseiro Rock Shox Monarch Plus RC3 HV
  • Grupo SRAM XX1
  • Rodas Reynolds MTN AM Carbon

Focus SAM 2.0

sam2
  • Amortecedor dianteiro Fox Talas 27.5 CTD Evolution 160mm/120mm
  • Amortecedor traseiro Magura TS RC
  • Grupo Shimano XT
  • Rodas Reynolds MTB AM

Focus SAM 3.0

sam3
  • Amortecedor dianteiro Fox 34 FLOAT 27.5 CTD Evolution 160mm
  • Amortecedor traseiro Magura TS RL
  • Grupo Shimano SLX
  • Rodas Mavic EN321
  •  
  • MM

Crossmax SLR 29

Crossmax SLR 29
Para a rapaziada do BTT, o novo modelo da Crossmax SLR.
Esta roda tubeless, pesa somente 1620g e é linda.
Os aros são reforçados e feitos com maquinação ISM 3D, que reduz o peso.
 Os raios são planos e feitos de Zircal, para aguentar as dimensões da 29.
MM

100 unidades da bike SuperSix da Cannondale Evo - Edição Limitada Peter Sagan.

A Cannondale anunciou um novo modelo da sua bike SuperSix Evo para ser assinada pelo menino prodígio da equipa da Cannondale, Peter Sagan.
Cannondale_Peter_Sagan
A marca vai lançar 100 quadros em homenagem a conquista da Camisa Verde no Tour de France de 2013 pelo jovem e abusado ciclista da Eslováquia.
Ainda não existem muitos detalhes sobre o quadro. Mas ele deve vir com o grupo novo da SRAM o Red 22, com 11 velocidades. A pintura tem todos os detalhes possíveis na cor verde e ficou bonita.
 
MM

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Quedas no gelo.

Algumas quedas, numa curva bem apertada, qual será o mal?? Talvez o gelo...
MM

FORCE GT 2014.

 A Force GT queria tirar proveito de seu IP, mas atualizá-lo para o trabalho e olhar melhor.
 
 Eles desenvolveram uma plataforma chamada AOS, Ângulo de suspensão otimizada, e para o Sensor e Força, que foram concebidos em torno de 27,5 "rodas desde o início.

 

É um projeto único, pivot de alta.

Articulação do velho sistema mudou e puxou o suporte inferior para mantê-lo na posição desejada. O novo tem uma função semelhante, mas é muito mais duro, e é mais leve porque usa menos peças e pode ser executado rolamentos menores com eixos simples. 
O PathLink é uma peça de prata é fortemente usinado a partir do interior para reduzir material. 
Você nunca o vai vêr, mas há um monte de atenção aos detalhes escondidos por trás dessa peça monocoque. Felizmente, eles preso com um BB rosca.
O PathLink gira em torno de dois eixos 15 milímetros thru, com rolamentos maiores no eixo principal, porque ele vê mais carga e tem de lidar com todas as forças de torção. 

Tanto a cavilha de aperto usar desenhos para manter tudo no lugar. A top, pivot principal no quadro também gira em torno de um eixo passante 15mm, também mantido no lugar com parafusos de fixação. Cada eixo desliza para dentro do driveside, então um parafuso puxa-lo apertado antes de ser pisado no lugar.
O Sensor de viagem 130 milímetros terá três modelos de carbono, Equipa, Pro e Expert, e quatro modelos de liga (Pro, Expert e Elite além de uma versão especial Hans Rey para mercados selecionados ... o que pode ser uma oferta Euro-só à primeira).

Peso médio quadro de choque, hardware, colarinho banco e cabide desviador é 2,721 kg, para o carbono e 3,381 kg , para a liga, tanto de tamanho médio. 



Os preços vão variar. Todos, exceto o Elite Sensor vem com rodas e pneus tubeless ready e estão spec'd com um post conta-gotas (ou Reverb Furtivo ou tipo de suspensão LEV).



Ambos vêm com montagem Shimano direta desviadores e ganchos traseiros, mas eles oferecem um gancho padrão, se você quiser executar alguma outra coisa.

 

 
MM