domingo, 8 de setembro de 2013

Movimento - Devolvam a bicicleta ao Chinês.


04.Dezembro.2012
Um ciclista chinês ficou sem bicicleta quando terminava, em Portugal, uma viagem de 15 mil quilómetros. A Internet mobilizou-se e agora Eric Feng vai receber uma bicicleta nova e um cabaz de produtos portugueses, em jeito de "pedido de desculpas" nacional. 
Eric Feng, apaixonado pelas histórias dos navegadores, decidiu abandonar a sua cidade natal na China e rumar a Portugal, de bicicleta. Pelo caminho, para além de homenagear o Infante D. Henrique, aproveitou para "pregar" as maravilhas das energias limpas e da mobilidade. Durante seis meses, Feng percorreu milhares de quilómetros, passando por países como a Rússia, para chegar ao nosso país. 
Mas a aventura de 15 mil quilómetros, da China até Portugal, terminou abruptamente quando já estava quase a chegar ao seu destino final. A bicicleta de Eric Feng foi roubada numa noite em Sines, deixando o ciclista sem meios para terminar a sua demanda. Ajudado por um grupo de ciclistas portugueses, Feng conseguiu finalizar a sua viagem, partindo de seguida para a China, já de avião. 
No entanto, o episódio não ficou por aqui, tendo servido de mote a uma empresa, que decidiu tentar ajudar a encontrar a bicicleta roubada, criando uma página no Facebook com esse intuito. Um par de meses depois, a bicicleta ainda não apareceu, mas uma nova vai ser enviada, juntamente com um cabaz de produtos portugueses, como uma espécie de "pedido de desculpas" pelo roubo e para dar uma melhor imagem do nosso país. 
Tudo começou no final de outubro, quando tomamos conhecimento da história. O objetivo inicial era lançar um apelo que pudesse resultar na devolução da bicicleta", garante um dos responsáveis pela página. "Sabíamos das dificuldades que iríamos enfrentar e que era bastante provável que a bicicleta não voltasse a aparecer. No entanto, a reação do público foi excelente. A página teve uma grande adesão por parte dos portugueses e todos pareciam interessados em ajudar-nos a dar um final diferente à história do Eric Feng. 
Foi aí que surgiu a ideia de encontrar outro tipo de solução. "Decidimos mostrar ao Eric Feng que Portugal não sabe só tirar... também sabe dar e tem muito para oferecer", diz a empresa Pepper Brand Taste, que decidiu, então, oferecer uma bicicleta ao ciclista. Daí ao pedido de contributos para um "cabaz" de Portugal foi um passo. "As recordações começaram a chegar", garantem, e o cabaz começou a ficar recheado de coisas como um galo de Barcelos, chocolates e até latas de conservas nacionais.   
A página de Facebook da iniciativa, "Devolvam a bicicleta ao chinês", já reúne mais de 1700 "fãs" e tem gerado algum feedback, tendo mesmo a história chegado ao outro lado do Atlântico, onde foi comentada num blogue especializado da Globo. Quanto a Feng, continua a promover as energias renováveis e a agradecer o carinho português. A "prenda" portuguesa deveria ter seguido esta semana rumo à China, mas o grupo ainda está à espera "de mais contribuições" e a estabelecer contacto com os CTT, pelo que "a entrega do cabaz ainda não tem data definida". Mesmo assim, espera-se que o mesmo chegue ao seu destino por altura do Natal. 
 Contactado pelo JN, Hernani Cardoso, um dos ciclistas que ajudaram Eric Feng, explica que o conheceu "através da rede Warmshowers.com", uma rede "similar ao couchsurfing, mas destinada exclusivamente a cicloturistas".
"O Eric pediu-me alojamento e eu aceitei", diz. Sem bicicleta, Eric dirigiu-se até Almada de autocarro e daí seguiu com o grupo de cicloturistas de Almada para terminar a sua viagem no Cabo da Roca, numa bicicleta emprestada. "O Eric foi recebido pelo grupo como um elemento. Todos nos divertimos, trocamos experiências gastronómicas e fomos levá-lo ao aeroporto de Lisboa quando se foi embora", garante. 
Hernani Cardoso diz que, inicialmente, olhou para a iniciativa no Facebook como uma "brincadeira de mau gosto", mas depois se apercebeu que "é boa", pois "limpa a imagem que o Eric poderia ter de Portugal".

Bicicleta portuguesa já chegou às mãos do Chinês. - 08/02/2013

Bicicleta portuguesa já chegou às mãos do Chinês
Eric Feng partilhou várias fotografias com a sua nova bicicleta e com dezenas de produtos portugueses com os quais também foi presenteado
É provável que se recorde da história de Eric Feng - o chinês que pedalou até Lisboa pelas energias limpas e a quem, no Alentejo, foi roubada a sua bicicleta. Há poucas semanas, Feng recebeu, por fim, na China, a sua nova companheira de viagens, oferecida por uma empresa lusitana para o compensar, e várias dezenas de produtos portugueses para descobrir o que o país tem de melhor.
 
A iniciativa surgiu, como o Boas Notícias avançou à data, por meio da Pepper, companhia portuguesa de ativação de marca, que criou, no Facebook, a página "Devolvam a bicicleta ao chinês", que incentivava também os cidadãos nacionais a presenteá-lo com produtos e iguarias de várias regiões lusitanas.
 
Em janeiro, a bicicleta, da marca portuguesa Órbita, totalmente paga pela empresa, chegou, finalmente, ao seu destino: Kunming, onde reside o Chinês, acompanhada de um amplo cabaz com espaço para conservas de peixe 'gourmet', chocolates portugueses, uma miniatura do Castelo de Porto de Mós e até um galo de Barcelos.
 
"O nosso amigo Chinês está muito contente com a nova companheira de aventuras, a nossa iniciativa revelou-se um grande sucesso... e estamos orgulhosos", garantiu João Carvalho, da Pepper Brand, ao Boas Notícias, através de e-mail.

Viagem para a China foi atribulada mas teve um final feliz
 
De acordo com a Pepper, a encomenda "teve uma viagem atribulada até à China, demorou para encontrar o Eric Feng, mas finalmente chegou ao destino", dando-lhe "uma nova companheira de aventuras portugueses" e a hipótese de "conhecer alguns dos melhores produtos e sabores que Portugal tem para oferecer", "tudo isto com um grande sorriso na cara".


Fotografia enviada à Pepper por Eric Feng mostra os produtos e símbolos portugueses que chegaram a Kunming junto com a bicicleta
 
O anúncio da chegada da bicicleta à China foi feita através do grupo criado no Facebook para esse efeito e deixou também muito satisfeitos os mais de 2.300 seguidores da página, a quem os mentores da iniciativa dedicaram um agradecimento especial.
 
"O nosso muito obrigado a todos os que contribuíram para que a história do chinês, que pedalou 18.000 km até Portugal e viu a sua bicicleta ser roubada [em Sines] tivesse um final diferente", escreveram.
 
Recorde-se que Eric Feng veio até Portugal para promover as energias limpas e homenagear dois navegadores históricos: o seu conterrâneo Zheng He e o português Infante D. Henrique.
 
O projeto, que demorou três anos a ser planeado, permitiu a Feng atravessar 10 países: China, Rússia, Estónia, Lituânica, Letónia, Polónia, Alemanha, França, Espanha e Portugal, onde terminou a jornada, depois de dormir em pousadas e casas de membros de uma rede mundial que alberga cicloviajantes.
 
Polícia portuguesa encontrou a bicicleta do Chinês. - 05 de Abril de 2013.
Polícia portuguesa encontrou a bicicleta do Chinês
Em Outubro do ano passado, um grupo português no Facebook pedia: "Devolvam a bicicleta ao Chinês". O Chinês é, se bem se lembra, Eric Feng, um aventureiro que pedalou até Portugal para homenagear dois navegadores históricos e a quem, em Sines, roubaram a 'companheira de viagem' de duas rodas. Agora, a polícia portuguesa encontrou a sua bicicleta e vai enviá-la de volta para a China.
Português pedala para entregar bicicleta 'ao chinês'
Português pedala para entregar bicicleta 'ao chinês'

'O chinês' que, em 2012, pedalou até Portugal e viu a sua bicicleta roubada em Sines vai receber a sua amiga de duas rodas, em mão, através de um português. Hernâni Cardoso vai pedalar milhares de quilómetros, numa volta ao mundo com passagem pela China, para finalmente reunir Eric Feng com a bicicleta mais mediática de Portugal.  

Quando ficou sem a sua bicicleta, Eric Feng estava alojado na casa de Hernâni Cardoso, em Almada. Na altura, o português, com a ajuda de um grupo de amigos, conseguiu emprestar uma bicicleta a Eric e o grupo acompanhou o ciclista até ao Cabo da Roca, numa homenagem ao navegador Infante D. Henrique. 
Agora, Hernâni Cardoso, um militar da Força Área reformado, vai realizar uma volta ao mundo em bicicleta, que já vem a planear há algum tempo. De caminho irá entregar, em mão, a bicicleta ao seu amigo do outro lado do mundo.  
"Uma bicicleta torna-se especial quando se pedala com ela 18.000 km. A partir dessa altura ela torna-se uma extensão do nosso corpo, a nossa companheira, o nosso meio de transporte....é tudo! E ele queria-a de volta, como recordação da sua aventura. Entretanto, surgiu a oportunidade de eu 'a pedalar' até Kunming (cidade natal de Eric)", conta Hernâni ao Boas Notícias.
 
Image and video hosting by TinyPic
Hernâni Cardoso foi o primeiro ciclista a subir à Serra da Estrela em cima de uma trike

Nesta viagem, que poderá prolongar-se por oito anos, Hernâni pretende "homenagear os nossos antepassados", os descobridores que deram "novos mundo ao Mundo". A partida está marcada para Maio de 2014 e a primeira parte da viagem tem como objetivo principal a China, o país de Erin, com passagem pela Síria, Irão, Afeganistão e norte do Paquistão. 
Na China, depois de devolver a famosa bicicleta, Hernâni irá levantar sua própria bicicleta. Depois de cumprida esta missão, será altura do português "pedalar por todo o oriente, Oceânia, África e América do sul, central e do norte" seguindo os passos "dos nossos antepassados ". 
Viagem 'low-cost' financiada com a reforma

Estas aventuras em cima das duas rodas não são uma estreia para Hêrnani Cardoso que, em 2009, atravessou boa parte da Europa, percorrendo quase 1.900 quilómetros na sua bicicleta. E, em 2012, foi o primeiro ciclista a subir à Serra da Estrela em cima de uma trike (bicicleta de três rodas).

Mas desta vez são mais quilómetros e, apesar dos recentes cortes nas reformas, Hernâni vai financiar a sua viagem "maioritariamente" com a sua própria pensão, embora já conte com o apoio de algumas empresas.

"Se estivermos à espera de dias melhores nunca fazemos nada", garante, explicando que a viagem "será o mais 'low-cost' possível, recorrendo ao campismo e à rede
Warmshower, dedicada à troca de alojamento entre ciclistas, onde aliás contactou pela primeira vez Eric.
  À exceção das ligações transatlânticas, que serão feitas de avião, o percurso vai ser realizado com a força das pernas, em cima de duas rodas.

bicicleta
Antes desta nova viagem, a bicicleta de Eric vai ser reformulada e algumas peças serão substituídas 

No percurso que vai realizar, Hernâni destaca a passagem pela "Tailândia, país ao qual nos unem laços de amizade de 400 anos, Malaca, diversas ilhas na Indonésia, Timor Leste, Macau, ainda as Filipinas e o Japão onde vai marcar presença no Festival de Tanegashima que ocorre todos os anos em homenagem à espingarda e aos portugueses".    
"Depois é a vez da Nova Zelândia e Austrália, dois países que alguns historiadores defendem terem sido descobertos pelos portugueses 100 anos antes de James Cook [explorador inglês do séc. XVIII]", conta o ciclista, referindo ainda que tentará, no local, "falar com historiadores que apoiam essa tese".    
Seguir-se-á "a árdua tarefa de contornar, literalmente, o continente africano até ao cabo da Boa Esperança e subir até Cabo Verde", de onde Hernâni vai viajar para a Argentina e, depois, até nos EUA, atravessando a América central. De Boston (EUA), regressará a Cabo Verde para subir a costa do Saara Ocidental até Marrocos e finalmente Portugal. 
A epopeia deste português de 52 anos, natural de Vila Nova de Gaia, poderá ser acompanhada de perto através do site de Hernâni Cardoso ou do Facebook. Apesar da sua idade já madura, Hernâni é destemido e afirma que não tem receio de se meter nesta aventura. "Sobretudo não me imagino a passar a minha reforma no sofá ou nos bancos de jardim", conclui.
Uma verdadeira historia - de roubo - oferta - recuperação e entrega.
MM

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.