quarta-feira, 24 de abril de 2013

Treino no rolo, algumas dicas.

Rolo, é um artifício que se bem utilizado traz grandes benefícios na performance desportiva de ciclistas e triatletas. Primeiramente, temos que o treino em rolo possui uma fisiologia adversa do treino que é realizado ao ar livre, temos que ter em mente que com a bike parada, não temos a inércia, equilíbrio e a resistência do ar que observamos no treinamento convencional. 
                       
Muitos defendem que o treino em rolo não substitui o treino ao ar livre por uma série de motivos entre as quais os citados acima, mas vale ressaltar que muitos atletas, em especial aqueles que moram em lugares com clima rigoroso, ou que exerçam actividade profissional que não permita que treinem ao ar livre durante a semana, apresentam excelentes níveis técnicos em competição.
Devemos partir do pressuposto que o treino no rolo nunca deve substituir pelo que temos agendado para ser realizado ao ar livre; Devemos sim, optar por esse tipo de treino, quando as condições não estejam favoráveis.

Temos que ter em mente que quando realizamos o treino no rolo, temos que nos aproximar ao máximo da situação que encontramos na estrada, posição na bike, simetria entre a roda dianteira/traseira, oxigenação do lugar aonde vai realizar o treino. Tais situações podem ser melhoradas com o auxílio de um bom equipamento, apoio para roda dianteira, arejar o local para facilitar a penetração do ar, posicionar um ventilador na frente da bike.

 Lembre-se que a desidratação é maior no treino realizado no rolo, devemos nos hidratar constantemente durante a sessão em rolo, pode-se usar bebidas isotônicas ou água. O treino em rolo nunca deve ter a mesma duração do convencional (na rua), pois além de factores como a desidratação, há pouca mobilidade do equipamento que poderá ser prejudicial para articulações do joelho tornozelo. Vale ressaltar que por mais que refrigeremos o local, estaremos muito mais dispostos a entrar em super-aquecimento no indoor, e após determinado tempo, a frequência cardíaca aumenta não por causa do esforço, mas resultante de um super-aquecimento, o qual não trará nenhum tipo de beneficio na preparação física.

-Nunca substitua o treino convencional pelo rolo, se não tiver necessidade.
-Se as condições climáticas não estiverem boas para treinar na rua, espere até o limite que puder durante aquele dia, lembre-se que o treino no rolo irá tomar menos tempo, ex: um treino de 70km que duraria umas 2h20, no rolo vai ser metade do tempo, ou seja 1h10. Lembre-se que a programação segue uma lógica e se o treino tiver que ser executado no rolo, irá ser. Nunca transfira o treino de um dia para outro, achando que as condições de tempo vão melhorar.
-Procure dar melhor atenção à posição, ao RPM . O rolo é o melhor local para corrigirmos a posição na bike
-Cubra a caixa de direcção com uma toalha para não cair muito suor e diminuir sua vida útil.
-Posicione um bom ventilador na sua frente.
-Abra janelas para melhorar a ventilação.
-Tenha sempre a mão pelo menos 2 bidões de 700ml com  liquido.
-Divida a atenção com um bom som ambiente sonoro ou programa de desporto para não ficar tão monótono, ( eu uso etapas gravadas das grandes voltas)

-E com tudo isto é só dar gás aos treinos....

Rolos para que?

Rolos de todas as cores marcas e feitios com inclinações, percentagens e ate com wats e sei lá mais quê!!! Tudo isso para que?

Isto sim A BICILAVADORA novo conceito em rolos de treino e actividade domestica e com uns toquinhos de tricout
 

MM

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.