domingo, 17 de fevereiro de 2013

O CICLISMO E A DOR NAS COSTAS.

Se cada parte do nosso corpo – o pulmão, as pernas, o coração – fosse parte de uma equipa de ciclismo, a nossa coluna seria o gregário, porque ela faz um esforço tremendo para contribuir para o nosso sucesso mas raramente recebe algum crédito por isso. Como muitos gregários o conjunto de ossos, músculos ligamentos e nervos faz um trabalho tremendo, mas só recebe a nossa atenção quando reclama.
Infelizmente isso acontece mais do que deveria. Estudos indicam que de cada 10 ciclistas, 8 sentem dor nas costas nalgum grau, variando de um ligeiro desconforto para uma dor muito intensa. E o pior de tudo é que o ciclismo é um dos melhores desportos para a saúde da coluna. O ciclismo estacionário (realizado em bicicletas ergométricas) faz parte do processo de reabilitação de lesões da coluna.
Mesmo durante as pedaladas nos passeios a coluna não sofre muito impacto, não sofre sobrecarga com peso excessivo ou realiza movimentos bruscos de rotação, ao contrário de outros desportos como a corrida, o tênis ou o futebol.
core do ciclista1 Ciclismo e Dor nas CostasO core do ciclista
Por quê então acontecem as dores nas costas? Por que o ciclismo usa a coluna de uma maneira que ela não foi projetada para atuar, já que a coluna foi projeta para atuar na posição vertical.
Enquanto pedalamos a coluna desempenha basicamente 3 funções:
  • Melhora o movimento de pedalada: enquanto pedalamos a coluna controla o movimento da pelvis, o que se não ocorresse iria fazer com que nosso quadril ficasse mexendo de um lado para o outro desperdiçando a energia dos músculos. 
  • Melhora a respiração: uma postura alinhada favorece o trabalho do diafragma. Enquanto uma má postura com a musculatura do core fraca prejudica o trabalho dos músculos respiratórios.
  • Melhora a posição aerodinâmica: ao adotar uma posição mais lançada, tal qual quando pedalamos no clip ou seguramos na parte de baixo do volante de ciclismo.
A boa notícia é que os cientístas afirma que 97% dos casos de dor nas costas durante as pedaladas são decorrentes do mal posicionamento na bike e do excesso de treinamento. Veja nossas dicas para pedalar sem dor:
  • Faça um Bike Fit: é de extrema importância o ajuste correto do equipamento às suas necessidades: altura do selim, altura e largura do volante, posicionamento dos tacos da sapatilha, distância entre o selim e o volante e inclinação do selim são os principais pontos a serem observados.
  • Acostume-se gradualmente a bicicleta: se você sente dor, experimente reduzir seu volume de treinamento em 20% até que a dor passe. Uma vez sem dor, evite incrementos semanais maiores que 10% no volume total do seu treino.
  • Pedale em marchas mais leves: ao pedalar numa relação muito pesada solicitamos os glúteos, os eretores da coluna, os abdominais oblíquos. Tais músculos são ótimos para exercerem muita força por um curto período de tempo, mas eles não foram projetados para trabalharem por um período longo, uma vez cansados esses músculos deixam de exercer sua função postural e de estabilização o que gera dores na coluna.
  • Evite pedalar nas subidas todos os dias: Muitas subidas afeta as suas costas da mesma maneira que pedalar em marchas pesadas. Se você morar em uma região montanhosa, troque a relação de sua bicicleta.
  • Evite pedalar no clip: nossa coluna foi projetada para absorver e dissipar impactos na posição vertical, no clipe adotamos uma posição horizontal. Adapte-se ao clipe gradualmente e capriche nos alongamentos dos isquitibiais (musculos posteriores da coxa) e da musculatura paravertebral.
Siga as dicas e trate sua coluna com cuidado que você irá pedalar sem dor por muitos anos.
Bons treinos!

MM

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.