quarta-feira, 31 de outubro de 2012

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Uma Xtracycle.


O que é uma Xtracycle?
Uma  Xtracycle é uma bicicleta (normal, pode ser a que já tem) com a cauda alongada, uma longtail, que usa o sistema modular de acessórios da Xtracycle. O alongamento da cauda é conseguido com o Freeradical, um chassis que prolonga o quadro original da sua bicicleta. Mas já há bicicletas com o quadro alongado de origem, como a Surly Big Dummy, que por isso dispensam o Freeradical, mas que usam todos os outros acessórios Xtracycle.
Fica assim com uma “smartbike” (como se fosse um smartphone) com diversos acessórios que funcionam modularmente.

Viagens exigem cuidados extras com alimentação pré-prova.

Especialistas indicam precauções para evitar mal-estar ou perda de desempenho por causa de refeições erradas.
A triatleta amadora Giovana Leiner venceu a categoria mountain bike para mulheres com mais de 29 anos do Caiobá Sesc Triathlon. Um dos cuidados que ela teve para terminar a prova semiolímpica com o 28.º melhor tempo no geral entre as amadoras (1h21min52s) foi com a alimentação." De­­cidi não arriscar e levei comida congelada, que preparei na pousada”, conta.
Se levar em conta que a atleta, é nutricionista clínica desportiva, poderia dizer-se que o cuidado foi um mero precioso profissional. Mas o que se come nos dias e horas que antecedem uma competição influencia, sim, no desempenho.
Não é preciso mais do que um deslize na dieta para acabar com todo o trabalho de preparação da prova. Especialmente quando o evento a ser disputado inclui viagens, em que os atletas se expõem a mudanças na rotina e cozinhas às quais não estão habituados. Não é difícil encontrar quem tenha uma história sobre abandono de prova por causa de dores de barriga, intoxicação alimentar e até crises de diarreia antes ou depois das provas.
A recomendação prudente é evitar experimentações, fugir da tentação das fartas mesas de café da manhã de hotéis e pousadas e deixar para provar o prato típico da região só horas depois de passar pela linha de chegada. “É importante evitar frituras, que exigem muita energia para serem digeridas. Frutos do mar também devem ficar fora da lista de alimentos da véspera da competição”, diz Giovana.
Levar produtos ricos em proteínas e de fácil transporte, para as refeições intermediárias. “Pode-se apostar nas frutas desidratadas, nas castanhas, barras de cereais. Em alguns casos, até pode pensar-se numa suplementação alimentar substitutiva, mas que deve ser feita com orientação especializada.”
Cada atleta aprende a desenvolver seu próprio “kit de so­­bre­­vivência” para o caso de não encontrar a comida mais adequada para manter sua rotina alimentar. Carbogel, pães tipo bisnaga, barras de cereais, bebidas isotônicas e até papas industrializadas para bebês entram na lista. “O ideal é fugir aos salgadinhos e bolachas recheadas, por causa dos conservantes. São ricos em carboidratos, mas não suprem outras fontes de nutrientes e vitaminas”, recomenda.
O jantar da véspera e o café da manhã horas antes de competir são as refeições que mais exigem atenção (sem esquecer que a hidratação deve ser reforçada). Na noite anterior, é hora de investir nas massas, ricas em carboidratos, é leve nas proteínas e evitar molhos brancos. Muitas pessoas podem sentir desconforto durante a prova pela dificuldade em digerir a lactose. “Pela manhã, é importante comer até: uma hora antes da partida, priorizando sumos de frutas e pães brancos, que têm menos fibras do que as frutas inteiras e os pães integrais”, fala Giovana.
Outra regra importante é programar com antecedência. Vale pesquisar os menus dos restaurantes da região e consultar o horário em que o café da manhã começa a ser servido nos hotéis. “As provas de triatlo normalmente começam muito cedo, às vezes, antes de o café ser servido. Sempre que podemos, procuramos hotéis de melhor infraestrutura, e contar com o que a cidade nos oferece, mas, de qualquer forma, sempre temos um lanche garantido na bagagem”.
DicasOpções para garantir uma boa alimentação:
1 Antes de viajar, informe-se sobre os horários de refeições e a variedade do cardápio de restaurantes.
2 Muitas competições oferecem um jantar de massas na véspera.
3 Inclua barras de cereais, frutas, frutas secas e sandes sem maionese ou queijo. Papas de bebê sabor frutas são boas fontes de vitaminas.
4 Garanta porções de proteínas com frango cozido ou suplementos.
5 No café da manhã, prefira alimentos com poucas fibras, mas energéticos.
6 Em provas longas – mais de 40 minutos –, é bom usar repositores de carboidratos.
7 No pós-prova, prefira a reposição energética. Ingerir frutas suculentas e bebidas isotônicas.
Fonte: Nutricionistas Giovana Leiner



Promoção Têxtil - S2R

MM

sábado, 27 de outubro de 2012

A bicicleta Trek Lime.

A bicicleta Trek Lime,  foi a grande vencedora do Prêmio Nacional de Design, que é oferecido todos os anos, em Nova York. Escolhida por votação popular, a criação é da Trek Bicycle, empresa líder mundial em fabricação e design de bicicletas.
Além da beleza, a bike possui um sistema de direção com mudança de marcha automática em três tempos e, segundo os seus criadores, uma mecânica praticamente livre de manutenção. Outra característica interessante é que a bicicleta carrega pequenos objetos, como telemovel, leitor de MP3, câmera, óculos e até protetor solar sob o banco.



“Hora de Inverno”.

Boas, acabaram assim as tardes de verão, acabaram os passeios da parte da tarde.


Estamos no final de Outubro e assim é tempo de acertar os relógios para a “Hora de Inverno”.

Podem não reparar que as estações do ano mudam, mas reparam que os dias começam a ficar mais curtos, amanhece mais tarde e escurece mais cedo, o período de luz diminui gradualmente.

Despede-te da “Hora de Verão”, atrasando todos os teus relógios, uma hora. Alguns acertam-se automaticamente outros não e é a esses que deves dar especial atenção. 

Um conselho acerta todos de seguida para que não te esqueças de nenhum e te desorientes.

Manuel Mouquinho.

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Top 5 de Bikes do Futuro.

Aqui estão algumas idéias são muito boas, outras é de se duvidar que algum dia tornem-se realidade. Segue a lista com as Top 5:
1 – Sunn Beam, de Garet Belmont
     O americano Garet Belmont criou este modelo para um ótimo dia na praia. O quadro comporta cadeiras de praia dobráveis e guarda-sol, as lanternas são de LED e o bagageiro é removível.
2 – Ridenpush, de You Ho Jeon
     Este modelo foi criado pensando nos catadores de lixo idosos de Seul, mas também pode ser aplicado para diferentes necessidades como entrega de cartas e pacotes, carregamento de bagagens pesadas, etc. O nome é formado pelas palavras ride e push, pois o quadro pode ser ajustado para andar com ela ou então para puxar a carga.
3 – D-Cycle, da GBO
     Essa é uma bicicleta anfíbia pensada na cidade holandesa de Helmond, onde a transição entre viagens na água e em terra é necessária muitas vezes (essa faria um sucesso extraordinário aqui na Baixada Santista, facilitando a travessia Santos-Guarujá).
4 – ROOnighT, de Yong-Bum Lim e Park Jong-Soon
     A ROOnighT acumula energia durante o dia com o próprio exercício. Essa energia é indicada pela luz no quadro de policarbonato e pode ser utilizada em diferentes situações, inclusive como iluminação para a rua onde ela se encontra estacionada.
5 – Rodas Quadradas
     Contradizendo tudo o que sabemos e batendo de frente com uma das invenções de maior importância de toda a história da humanidade, uma bicicleta com rodas quadradas. E ela é capaz de andar normalmente, desde que a superfície tenha desníveis regulares.

Bicicletas super-dinâmicas.

160 km/h numa bicicleta? Sim é possivel

As bicicletas super-dinâmicas não são novidade já existem há muito tempo e geralmente são usadas para quebrarem recordes, mas alcançarem os 160km/h! Foi desenvolvida por Graemme Obree (que já tinham dois recordes de velocidade em 1993 e 1995 em pista) e pela Glasgow School of Art.
Em vez de pedalar na posição normal, Graemme Obree deitado utiliza um sistema de pedal que consiste em empurrar e puxar, dando assim um movimento. Como ainda não está pronta para levar aos Estados Unidos para participar no evento Battle Mountain vai tentar bater o record no próximo mês em solo britânico com uma bicicleta construída também em solo britânico, talvez num aeroporto segundo o próprio. Basicamente eles têm que encontrar a estrada de alcatrão mais lisa que possam encontrar, com 2 km de comprimento em linha recta. Toda a carnagem aerodinâmica vai ser transparente para todos possam ver que têm lá um motor humano a movê-la .
MM

domingo, 21 de outubro de 2012

SRAM PART Project 2012.

 Peças de bike viram obras de arte incríveis

Pelo segundo ano, a SRAM está a promover este projeto que é simplesmente espetacular. Obras de arte feitas com partes de bicicletas são vendidas e a verba é dada a uma instituição de caridade.
O SRAM pART Project é a segunda edição desse projeto. No Ano passado o leilão das obras de arte levantaram um total de 140.000 dólares, que foram convertidos em 5.000 bikes através da associação World Bicycle Relief, que doa bicicletas para comunidades carentes na África.
Um total de 22 artistas foram selecionados para participar do programa, 100 peças de bicicleta foram dadas para cada um deles para que fizessem as esculturas. E elas ficaram inacreditáveis…
Este ano o leilão vai acontecer nos dias 22 e 23 de junho. Ja foi...


BTT Cozinha dos Ganhões - 02 de Dezembro.

A Associação BTTMOZ-SDT, denominado de Sobe e Desce Team de Estremoz, irá organizar em 02 de Dezembro de 2012 a "3ª edição do BTT Ganhões". Este evento decorrerá durante, e no mesmo espaço que a XIX Cozinha dos Ganhões, aproveite para provar a gastronomia alentejana mas antes disso dar umas pedaladas para abrir o apetite.....



Para já ficam já as distancias/altimetrias
PERCURSOS (ambos com contagens de tempos)

- Mini-Raid de 30 Km, dificuldade média com um acumulado aproximado de 500mts.
- Raid de 50 Km, dificuldade média/alta, com um acumulado aproximado de 1300mts.

Altimetrias (provisórias)
Raid de 50km


-Subida acumulada 1272 Meter -Descida acumulada 1197 Meter


Mini-Raid 30km



-Subida acumulada 322 Meter -Descida acumulada 288 Meter

INSCRIÇÕESAs inscrições, decorrerão até ao dia 27 de Novembro de 2012 e poderão ser efectuadas através do site: www.sobedesceteam.com

A inscrição inclui:

- Participação numa das duas provas, nas distâncias de 30km ou 50km.
- Brindes de participação
- Prémios para os 3 primeiros classificados masculinos e femininos no Raid de 50km.
- Mini-Raid de 30km apenas com contagem de tempos.
- Abastecimento de sólidos e líquidos
- Seguro desportivo
- Banhos quentes
- Lavagem das bikes
- Almoço

Aos menores de 18 anos será exigido um Termo de Responsabilidade emitido pelos pais ou tutor legal a autorizar a participação.

PREÇO

- Inscrição sem Almoço, 8€.
- Inscrição com Almoço 16€.
- Acompanhantes 10€. (Inclui Almoço)

-Limitado a 250 participantes

HORÁRIOS E LOCALIZAÇÃO

- Localidade: Estremoz, "Alentejo, Portugal"
- Concentração e Local de Partida, Parque de Feiras e Exposições de Estremoz "Recinto da Cozinha dos Ganhões 2012", Localização Google Maps
- Banhos, Estádio Municipal / Piscinas Municipais.
- Abertura de Controlo 0, 8:00h
- Partida 9:00h.


CONTACTOS

- 96 663 40 12 - Carlos Bilro
Email: eventos@sobedesceteam.com

DADOS PAGAMENTO

Os pagamentos serão efectuados via pagamento transferência bancária, até ao dia 25-11-2012 através dos seguintes dados:

NIB: 0045 6170 40231900406 67

IBAN: PT50 0045 6170 4023 1900 4066 7

Após pagamento envie comprovativo para: eventos@sobedesceteam.com


Inscrições abertas até: 25-11-2012

Mais Informações em:  eventos@sobedesceteam.com

  
MM

Saia de Bikes.

Como prometido aqui estou de novo, e desta vez a mostrar uma linda saia cintura alta com estampados de bicicletas antigas, super charmosa num estilo retrô romântico.Saia Bikes P&B
Em uma estampa branco e preto, que se torna uma peça coringa para qualquer composição!!!
Saia em gorgurão estampado, forro 100% algodão, zíper invisível lateral.

Sonia B.
 

Novas CUBE 2013.




Ana M

Raid BTT Serra de Monchique - Monchique - 28 Outubro 2012.

Data: 28 Outubro
Distancias (dificuldade):
  1. 70 km (Física: alta; Técnica: media/alta)
  2. 30 km (Física: media/alta; Técnica: media/alta)

Preço:
  • Raid + Almoço = 17€
  • Raid + Almoço + Seguro = 19€
  • Raid = 9€
  • Raid + Seguro = 11€
  • Almoço de Acompanhantes = 14€

Limite: 300 Participantes

Partida/Scretariado: Junto ao heliporto (ver mapa)
Banhos: Piscinas municipais (ver mapa)
Almoço: Restaurante Teresinha (ver mapa)

Horário:
Dia 28:
www.bttmonchique.com
BTT Monchique, montanhas de emoções

Ana M.

sábado, 20 de outubro de 2012

O PRAZER DE TREINAR.


Faça do seu treino uma atividade de prazer

Às vezes no dia de prova, de treino ou de passeio, cruzamos com betetistas com o rosto carregado de seriedade e o semblante cheio de preocupação. Alguns parecem mesmo estar indo a uma batalha de vida ou morte.

É bom que não esqueça que foi você e mais ninguém que optou por praticar desporto e mais concretamente BTT! Deixando de lad...
o os atletas profissionais, que além de viverem do desporto, ainda têm de dar satisfação aos patrocinadores, os amadores, como somos quase todos, deveriam estar muito felizes no dia da competição ou treino. É a oportunidade que se tem de confraternizar com outros colegas, encontrar velhos amigos e o melhor de tudo…fazer novos amigos.

Durante o ano são quilómetros e quilómetros de trilhos, horas e mais horas de corrida. Tudo isto de nada vale se em vez de colocarmos em primeiro lugar a nossa satisfação e prazer em praticar desporto, perseguirmos resultados muitas vezes acima de nossa capacidade ou termos um sentimento hostil para com nossos adversários. Não é essa a proposta do BTT ou qualquer outra modalidade.

Desporto, seja ele qual for, deve ser antes de tudo um prazer, uma actividade saudável e cercada de amigos sempre que possível. Aqui vão algumas dicas para tornar os treinos e provas mais agradáveis.

Sempre que possível, combine treinos com amigos. Em especial treinos longos em estradas ou trilhos. Bons amigos deixam o treino mais agradável.

Aproveite para colocar a conversa em dia e combinar mais treinos para a semana.

Quando for a provas, em vez de ir sozinho, você pode combinar uma viagem com amigos. Tirem fotos, passeiem pelo local, aproveite a viagem até ao local da prova para se divertirem. Além de mais divertido, viajar em grupo pode ser mais barato também.

Para provas mais distantes da sua localidade, reúna os amigos e adicione um pouco de aventura em sua viagem, conhecendo juntos as atracções turísticas da região. Tire um pouco o “foco” da prova e aproveite para fazer um pouco de turismo.

A rotina mata. Varie as provas em que participa durante o ano. Tem a liberdade de se inscrever nas provas que deseja. Inclua no seu calendário provas que nunca disputou antes.

Muitos betetistas têm o infeliz hábito de treinar sempre no mesmo local. Que desperdício de tempo! Tem tantas opções para escolha. Procure treinar em lugares diferentes, correr em circuitos diferentes, até mesmo trilhos no campo e estradas de terra. Visite um parque diferente na sua localidade. Além de ser um estímulo, treinar num novo local, novos caminhos e rotas com diferentes dificuldades e relevos enriquecem o seu treino.

Combine com outros betetistas de outras zonas, treinos na região onde eles vivem. Além de uma maior integração com outros atletas, você vai conhecer um novo lugar, novos caminhos e dificuldades. Convide para virem treinar na sua zona também.

Experimente percorrer os trilhos de treino no sentido inverso. Vai ficar surpreendido de como eles vão parecer diferentes. Ao fazer treinos longos de baixa intensidade, aproveite para admirar a paisagem.

Lembre-se sempre: O mundo é maior para os curiosos. A bicicleta é antes de tudo um veículo. Aproveite essa vantagem para conhecer lugares onde nunca esteve antes e faça de seu treino uma actividade feliz e onde sinta prazer.

TonY

Treinar Subidas

Certo dia, numa competição de Mountain Bike, um praticante me fez esta pergunta: "Sempre que realizo treinos com subidas longas fico muito cansado e após os primeiros minutos eu nunca consigo acompanhar o grupo. O que devo fazer para melhorar?"

Pensei e iniciamos uma longa conversa...

Disse a ele que terminar o treino de subida juntamente com o primeiro bloco, ou ainda se dest...
acar é o desejo de todos. O sucesso neste tipo de treino se dá através da habilidade do ciclista em pedalar em alta intensidade por período de tempo prolongado. Imagine uma subida longa onde tem de sustentar um esforço como este por cerca de 45 minutos a uma hora. Para iniciar a subida em um ritmo forte é necessário que tenha uma óptima capacidade aeróbica e, além disso, que conheça os seus limites individuais para controlar o ritmo durante a longa escalada. Existe um erro grave no momento da preparação física para estes desafios. Muitos atletas imaginam que obter um bom rendimento em uma subida longa é apenas realizar treinos demasiadamente intensos até que o organismo se acostume.

Um dos problemas deste tipo de estratégia é a continuidade, ou seja, os treinos são muito desgastantes e o tempo de recuperação entre eles não permite treinos de boa qualidade. Você pode colher benefícios enormes reduzindo um pouco a intensidade e aumentando a duração do treinamento. Além disso, esses treinos devem ser realizados em intensidade abaixo do seu actual condicionamento físico. Treinar em intensidade um pouco abaixo do seu actual condicionamento permite ao organismo desenvolver os sistemas de energia necessários para este tipo de exigência, além de adaptações circulatórias e metabólicas que favoreçam a manutenção do ritmo. Treinos muito acima do seu melhor ritmo proporcionam um cansaço precoce e consequentemente a qualidade do treino diminui.

Como complemento a este trabalho, devem ser realizados treinos com menor duração e intensidade alta que contribuirão para a melhoria da velocidade e tolerância ao esforço. Outro factor importante para o bom rendimento nas subidas é melhorar a razão potencia (carga máxima sustentada / peso). Para determinar esta razão divida a carga sustentada (esta carga é obtida através de um teste ou durante a pedalada utilizando marcadores de potência) pelo seu peso corporal em kg. Reduzir o peso corporal e manter a mesma carga proporcionará a melhoria do rendimento.

Para se ter uma idéia, um exímio trepador profissional chega a produzir 7 watts / kg durante escaladas de cerca de 30 minutos.
Tenha cuidado para não levar isto ao extremo. Reduções drásticas no peso corporal conduzem frequentemente à diminuição da força, além de tornar o organismo mais susceptível às doenças. É melhor manter esses quilos e ser saudável, do que estar magro, adoecer, perder o prazer pelo exercício físico e consequentemente as condições ideais de pedalar.
TonY

BTT - Consiga uma boa posição.

Qual a melhor postura a adoptar nas subidas, descidas e perante obstáculos? E no dia-a-dia, no treino e na alimentação?
Conheça, com a Sónia Lopes, uma das atletas portuguesas mais promissoras, quais os factores que contribuem para uma boa posição competitiva.

Treino
"Treino três horas por dia. Geralmente levanto-me às cinco e meia da manhã e por volta das oito hora...
s já estou na Serra de Sintra a treinar, onde fico até por volta das onze, quer seja treino de estrada ou de montanha. Por vezes, dirijo-me também para o Guincho e para a zona de Cascais.
Em dias de chuva cumpro uma hora e meia nos rolos."

Aquecimento
Para prevenir o aparecimento de lesões, nomeadamente ao nível dos joelhos e da zona lombar. "Antes da prova faço aquecimento nos rolos durante cerca de 20 a 30 minutos. Devido à pressão feita sobre a zona cervical, em virtude das muitas horas que passamos em cima da bicicleta, é ainda essencial, quando termina a competição, realizar alguns alongamentos e fazer uma sessão de massagem."

Plano alimentar
"Procuro sempre o que é mais saudável e tento fugir à ingestão de gorduras e de açúcares. Dou prioridade aos hidratos de carbono e às proteínas. Como o BTT é uma actividade fisicamente muito desgastante, não descuro uma suplementação alimentar, pois é essencial para que possa alcançar uma recuperação eficaz. Tomo multivitaminas, glutamina, L-Carnitina, entre outros, e durante a prova não dispenso barras energéticas e bebidas isotónicas." A atleta patrocinada por uma marca de suplementos alimentares consome, em média, por prova, cerca de cinco litros de líquidos.

Kit Essencial BTT
Capacete, essencial para salvaguardar a segurança do atleta; calções ergonomicamente concebidos para o sexo masculino e feminino; luvas, que protegem as mãos em contacto de queda e no contacto directo com o guiador; óculos, que impedem o contacto de insectos com os olhos, factor que quando não devidamente prevenido pode conduzir à desistência. Sem esquecer o medidor de frequência cardíaca.

Posição na bicicleta
Em movimento: o tronco e os membros devem estar flectidos, de modo a que o ciclista se sinta confortável e quando se depare com um obstáculo, possa ter a mobilidade suficiente para se desviar. Quanto ao selim, deve ser colocado ao nível do osso da bacia, de modo a salvaguardar possíveis lesões na zona lombar. Já o guiador deve possuir uma largura equivalente à largura dos ombros do atleta.
Em descida: de forma a retirar os maiores dividendos competitivos, há que adoptar uma postura aerodinâmica que permita "cortar" o vento de forma mais eficaz. Inclina-se o tronco para trás, deixando o selim à altura da barriga, segurando o guiador com os braços esticados.
Em caso de acidente, esta posição protegerá a integridade física do atleta, impedindo-o de ser projectado para a frente.
Em subida: inclina-se o corpo na direcção do guiador e o ciclista senta-se na ponta do selim, levando a que seja feito o maior peso possível na zona central do quadro. Isto permite aumentar significativamente o nível de aderência da máquina ao solo.
Na altura de ultrapassar obstáculos: de pé e em ângulo recto, utiliza-se a força do tronco para permitir que a bicicleta seja impulsionada, de forma a conseguir suplantar os obstáculos com que o ciclista se depara em competição. O corpo não pode estar contraído. Nesta fase, a atenção e a concentração revelam-se aliados preponderantes.

Escolher uma bicicleta
As máquinas de BTT fazem uso de pneus mais grossos e cardados que as bicicletas de estrada, permitindo uma maior absorção dos impactos; possuem uma maior aderência em terrenos mais enlameados e oferecem um melhor controlo da bicicleta em terrenos de pendor mais acidentado, na areia e na lama. Os aros costumam ser de parede dupla, reforçados de forma a evitar a sua deformação aquando da ultrapassagem de obstáculos.
As máquinas de BTT utilizam ainda amortecedores, com o intuito de reduzir os impactos sentidos pelo ciclista e de permitir um melhor controlo em cima do selim. Para isso, contam com quadros mais reforçados e resistentes, especialmente nas vertentes que incluem saltos e quedas de grandes alturas. O guiador é mais alto — quando comparado com a bicicleta de estrada —, permitindo ao ciclista uma posição menos inclinada, o que lhe traz inúmeros ganhos no que respeita à comodidade. As desmultiplicações, mais leves, para facilitar a superação de obstáculos.
TonY

Bicicleta de Todo o Terreno (BTT) e a natureza.

O comportamento pouco cívico de alguns utilizadores de bicicleta de todo o terreno e como de certo modo a BTT quase se tornou demasiado popular nalguns países Europeus e em muitas regiões dos Estados Unidos, os utilizadores de BTT tiveram de acatar limitações à sua liberdade após se ter chegado à conclusão de que o excesso de bicicletas pelas matas...
poderia provocar danos ambientais.
Como resultado disto, houve proibição de circular em alguns Parques e Florestas. Recentemente foi interdita a passagem de cicloturistas em determinadas zonas da Serra de Sintra, porque o ICN (Instituto de Conservação da Natureza) juntamente com a Câmara Municicpal de Cascais fecharam alguns dos trilhos existentes.
Várias congéneres europeias elaboraram códigos para os cicloturistas utilizadores de BTT que se assemelham a estas regras:

1º - Ceder a passagem aos turistas não motorizados;
2º - Abrandar ao aproximar-se de turistas equestres ou pedestres, passá-los com precaução;
3º - Reduzir a velocidade nas passagens sem visibilidade;
4º - Tomar sempre em consideração a experiência já adquirida: se pouca, média ou bastante.
5º - Passar distante dos animais selvagens e não assustar os animais domésticos;
6º - Nunca deitar lixo para o chão, recolhê-lo num saco até ao próximo recipiente;
7º - Respeitar a propriedade privada; não entrar sem autorização; não destruir as delimitações e repor as barreiras depois da sua passagem;
8º - Aprender a viajar em autonomia absoluta; preparar o itinerário e prever o seu reabastecimento; saber reparar a bicicleta;
9º - Nunca sair sozinho para um percurso longo e indicar o itinerário aos que ficam.
10º - Saber, em qualquer ocasião, manter-se discreto, modesto e, sobretudo, amável.
11º - Quando em grupo, o número de praticantes não deverá em caso algum exceder o total de dez, devendo manter intervalos do mínimo de cinco minutos entre a passagem dos grupos.
12º -Minimizar todo o tipo de impacte ambiental:
- Escolher os trilhos de maneira a não estragar a vegetação ou o solo.
- Alguns exemplos: A chuva ou neve transformam um trilho em lama. A maneira mais fácil seria atravessá-lo, transformando-o num grande buraco no entanto deverá desmontar e passar cuidadosamente. Se uma árvore cai no nosso caminho, em vez de a contornar, criando assim um novo trilho, devemos desviá-la.
- Estas acções isoladas parecem pouco importantes, no entanto quando multiplicadas por todos, os efeitos podem ser nefastos.
- A prática do impacte ambiental mínimo é a filosofia do cicloturista / utilizador da bicicleta de todo o terreno.

Outras recomendações
- Usar sempre o capacete de protecção;
- Nunca perder de vista o companheiro que segue atrás;
- Saber sempre localizar-se no mapa

Cumpridos todos estes pontos o contacto do ciclista com a Natureza não será certamente prejudicial.
 
TonY

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Hidratação.

A hidratação no ciclismo é fundamental e adquire ainda mais importância quanto mais calor, humidade e altitude houver. Os órgãos mais sensíveis à desidratação são os que têm maior proporção de água (cérebro, fígado e músculo), causando fadiga muscular, cãibras, esgotamento, perda de sentidos e inclusive a morte. Uma perda excessiva de líquido (desidratação) prejudica o rendimento e tem um efeito desfavorável sobre a saúde.
A desidratação submete a um esforço excessivo o coração, os pulmões e o sistema circulatório, o que significa que o coração terá que trabalhar com mais força para bombear o sangue a todo o corpo. A prática do exercício se torna mais difícil a medida que diminui o volume de sangue e se eleva a temperatura corporal.
Uma perda de apenas 2% do peso afeta a capacidade de se exercitar e piora o rendimento entre 10 e 20%. Se for uma diminuição de 5% do peso o rendimento piora cerca de 30%, e uma redução de 8% causa tontura, respiração ofegante, fraqueza e confusão. Reduções maiores têm graves consequências podendo chegar até à morte.
A desidratação diminui o rendimento porque:
  • Diminui a obtenção de energia aeróbica pelo músculo
  • O ácido lático não pode ser transportado longe do músculo
  • Diminui a força
Para uma boa reidratação temos que beber água e sais (cloro, sódio, potássio, magnésio e cálcio) porque o organismo só pode utilizar os sais minerais se tiverem água suficiente e só podem reter água quando contém sais minerais, ou seja, quem bebe sais minerais sem beber água suficiente (excesso de sais) desidrata e, quem só bebe água, chá, sumos ou cerveja, também desidrata.
Devemos beber antes, durante e depois do exercício
  • Antes: Meio litro nos 30-60 minutos que antecedem o exercício.
  • Durante: Um litro para cada hora de exercício (o ritmo ideal é de 100 ml a cada 5 minutos). Todos sabemos que numa corrida é impossível beber um litro, até porque não temos um carro atrás para nos ir dando água, mas sempre devemos ter em mente a importância da hidratação durante o treino e a competição.
  •  
  • Depois: Devemos beber meio litro para cada quilo de peso perdido. Como média aproximada devemos consumir líquido até que a urina seja abundante e transparente. O líquido não deve estar nem muito frio nem muito quente, pois isso retarda o esvaziamento gástrico. Não são adequadas as bebidas efervescentes (muita água, muito açúcar, anídrido carbônico, essências e colorantes) nem as bebidas de cola (muita água, muito açúcar, cafeína e poucos sais minerais).
A cerveja não é ruim (contém malte e glicose) mas em pequena quantidade (o álcool bloqueia a capacidade de regeneração e diminui o efeito do treinamento); além disso não tem sais suficientes para compensar um suor abundante.
Eis uma noticia boa para alguns colegas...

Cyomo - A Bike que se desloca a Energia Solar.

O designer Raymond Bessemer é famoso pelas suas criações. São relógios, televisores, aparelhos domésticos, electrónicos, utilidades e outras coisas mais, que fazem dele um mestre.
imagem
Este americano apresentou a sua mais nova invenção, que já foi intitulada como ecologicamente correcta.  Trata-se de uma das maiores criações em bicicletas eléctricas, a Cyomo Eletric Bike, que tem um sistema simples que ninguém ainda tinha elaborado da forma que Bessemer projectou: uma bicicleta movida a energia solar.
Toda construção da bicicleta foi pensada da forma correcta, que vão desde peças recicláveis, como o selim termoplástico até aos painéis solares que utiliza, que ficam estrategicamente instalados para receber os raios do  sol. Estes painéis ficam sobre o tubo superior do quadro, que para facilitar o posicionamento do ciclista podem dobrar na vertical e facilitar a pedalada. Uma vez parada a bicicleta, os painéis ficam na horizontal para receber os raios solares.
Toda alimentação energética é enviada para uma bateria de lithium-ion, que faz ligação no cubo traseiro, gerando assim, o motor.
Não é só a questão do meio ambiente, mas o carregamento da energia solar a custo zero, dispensando encargos, foram as qualidades que chamaram a atenção para a Cyomo. Empresas do segmento de baterias solares e até automobilísticas ficaram interessadas pelo projecto. O protótipo ainda não tem valor declarado, além de especificações detalhadas do geral. Mas com certeza será mais uma grande ideia que não ficará apenas no papel.

Bicicletas Dobráveis Femininas.

A prática de exercícios físicos é essencial para a qualidade de vida, isso toda a gente sabe. Agora, quem não tem tempo para se exercitar e mora relativamente perto do trabalho, pode utilizar o próprio trajeto para cuidar do corpo.  
 Uma boa opção são as bicicletas dobráveis, um tipo de transporte leve e prático, e que para as mulheres especialmente, é eficiente, a bike não é pesada como um modelo comum.

bicicleta dobrável
O design dessas bicicletas é diferente das tradicionais mountain bikes que vemos por aí.
Apesar de não alcançar muita velocidade, a corrida até ao trabalho de uma certa forma fica mais segura, já que o risco de algum acidente acontecer diminui.  
Mas, a melhor característica desta bike é mesmo o fato de poderem ser guardadas em qualquer lugar! É possível guardar embaixo da mesa do escritório, dentro do armário ou em outro local de pequenas dimensões, isso porque o seu design permite esse posicionamento.

bicicleta
Está interessada? Diversas marcas entraram na onda.

bicicleta
Aqui ficam algumas marcas como a Soul, que possui um modelo todo vermelho, feito em alumínio, pneus de 20 polegadas e passador de marchas da Shimano.
Já a outra é a Caloi, marca mais conhecida, que dispõe o modelo Urbe, acompanhado de bolsa para transporte, bagageiro e espelho retrovisor.
 Para a levar onde quiser.

De saia, mulheres promovem uso de bicicletas na Romênia.

Evento, chamado de 'skirt bike', reuniu dezenas de romenas.
Grupo passeou pelas ruas de Bucareste.

Bicicleta Romênia
De saia e salto alto, mulher participa de evento em Bucareste (Foto: Vadim Ghirda/AP)

Bicicleta Romênia
A saia foi item obrigatório no vestuário das ciclistas (Foto: Vadim Ghirda/AP)
Em: http://g1.globo.com/mundo/noticia/2010/05/de-saia-mulheres-promovem-uso-de-bicicletas-na-romenia.html

Bike fashion.

A bike é uma opção prática e fácil para o dia a dia.
Assim, como meio de transporte e não como desporto, as meninas não podem descuidar do look.
Inspirou-se nestes registros? Pode vêr como elas souberam escolher os sapatos na hora de pedalar: sabrinas!
E para não correrriscos, escolha modelos lisos, sem borbados e pedras que se podem estragar durante a prática, não acham?
Olhem aqui uns modelitos que podem interessar, para pedalar ou mesmo para dar um passeio: