sábado, 29 de setembro de 2012

Sistema elétrico para bikes de downhill.

O Motor dá aquela força na hora de voltar ao cimo da serra.
A moda das bicicletas elétricas chegou ao downhill e ao freeride. O sistema desenvolvido pela Ego-Kit consiste num motor elétrico que vai instalado numa caixa de alumínio sob o quadro, próximo à caixa de centro. O kit pesa 4,4kg e encaixa em 70% das bikes disponíveis no mercado.

Alimentado por baterias recarregáveis de 48 volts, o motor desenvolve uma potência de 1.200W (opcionalmente há também versões de 500W e 2.400W opcionalmente). Segundo a empresa, a bateria tem uma vida útil de 1.500 ciclos, leva uma hora e meia para recarregar e tem uma autonomia de até 40 quilômetros, dependendo do relevo, peso do atleta etc.
 A bateria, aliás, vai alojada numa mochila de neoprene, que faz parte do kit.
A velocidade máxima da bicicleta chega aos 70km/h no plano. O kit custa nos 1.870 € na Alemanha.
Vejam o vídeo de uma bike com o Ego-Kit em ação
Mais informações no site www.ego-kits.com

As bikes oficiais do Sampa Bikers (Brasil).


Apresenta-se aqui as bicicletas oficiais do Sampa Bikers.
Uma para cada situação e na qual se recomenda a comprar, principalmente se você que ser diferenciado e quer algo diferente e de boa qualidade, saindo das marcas tradicionais e comuns no mercado.

 
A bicicleta oficial de MTB do Sampa Bikers é uma Pz Racing de Carbono, volante e selin também são da PZ Racing também de carbono. As rodas de são de carbono da Vzan, pneus Maxxix, Travões Fórmula, amortecedor  Suntour Axon de 100 mm de curso com trava automática. Por enquanto ela está equipada com componentes da Sram XX.

Para pedalar na estrada o Sampa Bilkers estará também com uma PZ Racing toda de carbono, inclusive o volante. As rodas são Vzan, o Selin é da Fsik. Os componentes a princípio são Shimano Ultrega.

Outra bike do Sampa Bikers é também uma PZ Racing, esta é de alumínio. Será usada nos passeios noturnos. Volante, espigão e selin, todos na cor branca também da PZ. As rodas também brancas, são da Vzan.

Os guias do Sampa Bikers também usam as bolsas de selin da Curtlo.

Além disso, tem o kit completo da Cateye: Farol, Ciclo computador e pisca pisca trazeiro. E para ficar ainda mais iluminada tem o Bike Glow.

Para os passeios realizados na cidade, os Guias do Sampa Bikers pedalam uma Gallo. Tradicional marca que é uma excelente opção para quem está iniciando.

Também estarão a usar os selins da Tito Bike, bem confortáveis para pedalar na cidade.

Para o dia a dia na cidade, esta-se a usar cada vez mais a Jamis.

e a segunda opção de Speed, é uma Jamis Ventura, ideal para quem quer algo de excelente qualidade e mais em conta para pedalar na estrada.

E para pedalar a dois, tem a Tandem, com a pintura exclusiva da Porto Seguro, patrocinadora oficial do Sampa Bikers.

e para lubrificar tudo isso somente os óleos Boeshield T.9

O legal da PZ Racing é que além de você sair de marcas comuns no mercado é que você pode comprar somente o quadro a parte e fazer um excelente up grade na sua bike.
 Aí a dica é ir a loja Cicloravena.


quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Produtos Low Cost S2R.

Morada: Avª- Francisco Fino      Zona Industrial de Portalegre   
7300-205 Portalegre
Em frente ás oficinas Municipais de Portalgre
  Telefone Geral: 245 208 391 
Telefone Peças/Recepção: 245 331 041
Fax: 245 204 120
E-mails: geral@s2r.pt 

Bicicletas modelos de 2013 no S2R.

Bicicletas modelos de 2013 já em exposição
Já estão disponiveís na S2R bicicletas Scott e Cube, modelos de 2013.
Conheça todas as novidades e tendências para o novo ano.
Fique a par com a S2R.
Morada: Avª- Francisco Fino      Zona Industrial de Portalegre  
7300-205 Portalegre
Em frente ás oficinas Municipais de Portalgre
  Telefone Geral: 245 208 391 
Telefone Peças/Recepção: 245 331 041
Fax: 245 204 120
E-mails: geral@s2r.pt 


PROBIKESHOP.



3º Tour BTT Rota d'Ossa - 05 de outubro de 2012.

As inscrições para o 3º Tour rota d'Ossa estão abertas! O percurso deste ano terá uma extensão de 40km aproximadamente, acessível a todos os praticantes de BTT, pela Serra d'Ossa e trilhos limítrofes, sem esquecer a passagem pela Cidade de Estremoz. Será atribuído um numero de dorsal aos participantes, embora não haja um cariz competitivo no evento.
 

 As inscrições estarão abertas até 03 de outubro de 2012.
Após inscrição deverá efectuar pagamento através de transferência bancária para o NIB 0045 6170 4023 2042 40885 e enviar o comprovativo de pagamento para rotadossa@gmail.com .
A participação com almoço tem um custo de 15 pedaladas, sem almoço custa 7 pedaladas e os acompanhantes pagam 10 pedaladas para almoçar.
Os acompanhantes menores de 12 anos não pagam.
A inscrição contempla a emissão do dorsal, abastecimento durante o percurso, brindes, banhos e seguro de prova. Inscrevam-se já!

Inscrições:
 
 https://docs.google.com/spreadsheet/viewform?formkey=dGdzRlo2RmVLVXBRakY0blFsLWVKdFE6MQ

Link para a  lista de inscritos no 3º Tour BTT Rota d'Ossa.
 
Informação retirada de:
 
 
 

Bicicleta inspirada no Porsche 911.

O designer David Schultz, que atualmente trabalha na Microsoft, iniciou sua carreira na Specialized, uma das principais fabricantes de bicicletas de alta performance, e tem uma paixão enorme pelas bikes.
Recentemente, Schultz projetou o design de uma bicicleta inspirada em no carro clássico Porsche 911, e sua criação foi selecionada como finalista do ‘Next Design Challenge‘ proposto pela Porsche em parceria com a Fast Company. 
De acordo com Schultz, a bicicleta urbana foi projetada para ser uma versão sobre duas rodas do Porsche 911: “leve, rápida, simples, durável e duradoura”. “Os detalhes do design do carro estão integrados à bicicleta, o quadro reflete a silhueta do 911, resistente e rígido.

O desenho de Schultz provavelmente não vai sair do papel, mas recentemente a Porsche lançou dois modelos inspirados em seus carros.
De acordo com o site Carro Online, a bicicleta Porsche RS (Racing Sport) foi projetada para alta performance, com aro 29 e apenas 9 quilos, uma vez que as peças são feitas de fibra de carbono.
O outro modelo, a bicicleta Porsche S, tem estrutura de alumínio hidroformado, grafos de fibra de carbono e é pintada no branco clássico do Porsche Carrera. Esse segundo modelo é um pouco mais pesado (10 quilos).

OLX - Se vale X, OLX! Spot Bicicleta.



Porsche Bike FS Evolution.

Porsche motos o projeto inicialmente foi introduzir urgentemente em 1999, o modelo apresentado é quase a versão 2001 Evolução FS - originalmente fabricado pela empresa alemã Votec, quase de produção, desde então, passaram às vezes para outro manufacturer alemão - Storck.
A bike quase top quase especificado originalmente vendido a varejo em torno de US $ 10.000, com um composto de fibra de carbono autoclavado instintivamente quadro, além de manivelas compostos de carbono, forma garfos mais baixos, pedais, e espigão indiferença. O pneumático absolutamente suspensão dianteira e traseira também é totalmente ajustável.
Porsche Bike FS Evolution

E os componentes complementares são, por vezes o  mais brilhante avançado: Spengle distintivo 3-rodas raiadas compostas, high-end Shimano XTR engrenagem, e a bike estilo Magura travões a disco ventilado. Lance Armstrong montou um desses quando não estava correndo.

Estas bicicletas são muito poucos desejáveis, embora às vezes muito caras.
Qualidade do passeio é excelente decente, e a bike é  um pouco...(11,5 Kg) por causa da falta da maioria dos componentes chave, carbono.

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Qual a diferença entre andar de bike e fazer spinning??

Exercícios físicos nem sempre são agradáveis para algumas pessoas, por isso, é importante escolher opções que, de alguma forma, tragam também bem-estar.
Assim é possível ter um estímulo e conquistar mais rápido os objetivos desejados.
Entre as atividades que podem agradar está o ciclismo, que pode ser realizado ao ar livre ou em um espaço fechado.
A dúvida está na hora de escolher o melhor.
 
Andar de bicicleta ao ar livre, por exemplo, possibilita o contato com a natureza que proporciona um maior bem-estar psicológico, aliviando o stress. Além disso, como, teoricamente, necessita-se fazer mais pausas, gera uma sobrecarga menor nas articulações dos joelhos”.

O spinning “costuma queimar mais calorias e evita contratempos, como trânsito, poluição, defeitos na estrada, pedras, lama, chuva, furtos e quedas”.
Apesar dessas diferenças, é preciso saber que ambos enrijecem as pernas, coxas, nadegas, abdômen e ainda melhoram a resistência cardiovascular e o fôlego. A escolha agora só depende dos seus objetivos.

As melhores barras de prancha para bicicleta do mundo.

The best surfboard bike racks in the world.
 Amantes do mar e da bike, este é o melhor modo de viajar até ao seu local de surf, sem gastar dinheiro em gasolina.

Se mora perto dos seus locais favoritos de surf , mas é muito longe para caminhar até as ondas? Você está em crise com o seu orçamento mensal de viagens de carro? Felizmente, há esta bike prancha. Foi inventada, de modo a que você se desloque facilmente de sua casa para a praia, sem perder dinheiro e poluir a atmosfera.
: easy to install and great for surfers | Photo: Almond Surfboards
Às vezes, boas ondas estão a uma longa caminhada. De bicicleta é rápido e vai aquecer as pernas antes de bater o line-up. Existem três formas de transporte da pranchas de surf numa bicicleta
montado na lateral
 traseira
montado ao alto.
A forma mais popular de guiar uma bicicleta com a sua prancha com um lado é montado em rack. Apesar de sua bike ficar maior, você tem problemas de segurança e vento não vai parar de o empurrar para trás.

Surfboard bike rack: the Huntington Beach way
Pode montar na traseira prateleiras pré montado, e assim  deixar os seus dois lados livres, mas pode surpreendê-lo de lado a lado quando o vento é mais forte. A versão vertical montado coloca a sua prancha na posição vertical, atrás do assento.
Finalmente, há também reboques prancha, com rodas, que permitem a que você carregue a sua prancha e equipamento extra. Naturalmente, você deve tomar cuidado ao deslizar e em estradas íngremes bem como nas ruas.


Belos Tempos Antigos.

Um pouco de Giro d’Italia… em 1974…

Para ti, que nunca sais sem o teu “CamelBak”…


Capacetes... Saiba como escolher e ajustar o seu.

Se está a pensar em comprar um capacete, escolha bem o sitio onde o compra e qual o capacete.


Como são feitos os capacetes?

Basicamente os capacetes são feitos em duas partes: Uma película protetora de plástico ou carcaça e uma capa (a que envolve a cabeça) de poliestireno expandido.
A película exterior protege o poliestireno do desgaste natural (pelo sol, chuva, granizo e a umidade) que o mantém unido e compacto já que esse material tende a formar pequenas rachadelas.
O poliestireno é o material mais importante do capacete porque é encarregado de absorver o impacto, achatando-se primeiro e rompendo-se depois. A Wikipedia diz que os capacetes estão otimizados para ser plenamente efetivos em quedas em uma velocidade de 20 quilômetros por hora que não haja outros veículos.
Se a velocidade é de 50 quilômetros por hora, por exemplo, o capacete fará que o impacto seja o equivalente ao de um tombo a 45 quilômetros por hora, também evitará cortes e hematomas no couro cabeludo (nada insignificante) e distribuirá a força do impacto por uma área maior do crânio. É como dizer que seria a diferença entre receber um golpe com um martelo ou com uma panela.

Há vários tipos de capacetes:

De carcaça dura ou de carcaça suave (também existe sem carcaça mas ja não se fabricam mais). Contra as pancadas são mais eficazes os de carcaça dura mas transpiram muito mais, o seu uso é praticamente inviável quando se está a fazer exercício físico intenso e a temperatura exterior não é abaixo de zero. Os capacetes de carcaça dura são habituais entre os que praticam manobras e outras variedades loucas do ciclismo de montanha.

Podem ser fabricados com a tecnologia in-mold ou não. O primeiro quer dizer que o poliestireno fabrica-se diretamente sobre a carcaça exterior como se essa fosse um molde. Assim ambas as peças encaixam-se perfeitamente ficando solidamente unidas. A outra forma de fazer os capacetes implica que as peças são fabricadas separadamente e depois juntam-se, o que faz do capacete um pouco menos robusto. Atualmente a maioria dos capacetes são fabricados com a tecnologia in-mold.

Qualidade e Preço

Os capacetes mais caros não são necessariamente os mais seguros. O preço dos capacetes depende de questões como seu peso, a ventilação, se possui viseira ou não, os sistemas de ajuste e claro, o design do capacete.
Os capacetes mais baratos custam em torno de 20 € e por vezes ultrapassam os 300€, que são alguns modelos super sofisticados. O preço não indica uma segurança maior.
Todo o capacete homologado deve funcionar bem, ha pequenas diferênças, essas estão referênciadas acima.

Tamanhos
Os capacetes, como quase tudo na vida, vêm em diferentes tamanhos dependendo da circunferência da cabeça. Os tamanhos tradicionais servem para cabeças com circunferências entre 50 e 62, dependendo de fabricantes e modelos. Uma cabeça que tenha uma circunferência de 55cm, serve um entre 55 e 59cm devido a regulagem de circunferência que tem no capacete.
A melhor maneira de saber se o capacete é do tamanho certo para si é experimentando-o. Atualmente a maioria dos capacetes vem com uma espécie de cinta de regulagem para se adequar melhor à cabeça.

Ajuste do capacete
Posição do capacete

Para que o capacete proteja a sua cabeça como deve é preciso que ele esteja ajustado corretamente.
Isto é:
A borda do casco deve estar um ou dois dedos acima da sobrancelha de maneira que quando você olhe para cima consiga ver a borda.
A correia que tem no capacete deve estar bem ajustada. O ideal que que sobre menos de 4 centímetros de distância entre a correia e o queixo, e a parte lateral da correia deve fazer um ‘V’ levemente encostado na pele. O resultado final deve ser de um capacete firme mas sem apertar.
Este é o teste para saber se você fez corretamente:
A. Ao abrir a boca aperta sua cabeça?
Abra a boca o máximo como se estivesse bocejando. Você deve sentir o quanto o capacete aperta sobre a sua cabeça. Se sentir algum incômodo deverá afrouxar e se não pressionar nada você deve apertar mais as correias do queixo.
B. Você pode mover o capacete facilmente para trás e para frente?
Você deve ajustar a cinta de regulagem primeiro, e depois as correias do queixo até que o capacete fique firme.
Para quem tem cabelos compridos, um truque: você pode ajudar a manter o capacete na posição fazendo um rabo de cavalo e passando no triângulo que faz a cinta de ajuste e o próprio capacete. Dependendo da altura do rabo de cavalo o capacete ficará bem posicionado.
Conselhos variados
Os capacetes possuem validade, assim como os iogurtes. Com o tempo o poliestireno perde a elasticidade e já não protege o suficiente nas pancadas. Como orientação básica, podemos dizer que a idade média de validade de um capacete é de 5 anos, mas depende da marca e modelo.
Quando o capacete recebe o seu primeiro impacto forte também deixa de ser funcional: o material perde a tensão, e não reagirá de forma correta quando tiver outro impacto. Nesse caso, se você teve alguma batida considerável, troque de capacete.
Para cicloturismo recomendamos os capacetes com viseira (aba). Além de proteger contra o sol, também evitam que a chuva forte caia diretamente no rosto, quando a chuva forte bate na viseira além de diminuir drasticamente a velocidade da água, também transforma uma grande gota em pequenas partículas de água.
Para terminar, uma ocasião na qual o capacete pode não servir mesmo para nada.


terça-feira, 25 de setembro de 2012

CERVELO P5.

Vamos mostrar hoje o Frederic Van Lierde com a sua nova maquina. 
Frederic Van Lierde e o seu brinquedo

Mesma vista, frete estilo Tri
 
Cabos, onde estão eles?
 
Espaço para Bento Box, estilo Trek?
 
De frente.

Outro ângulo frente estilo Tri

Travões traseiros Magura - Hidráulicos

Parafusos de aperto do selim estilo P3