segunda-feira, 28 de novembro de 2011

BIKES PARA GULOSOS


 DELICIOSO.
 DEPOIS DESTE ESFORÇO TODO ...
HA QUE FAZER UM OUTRO ESFORÇO.
O DE EMAGRECER A PEDALAR.
EH.
EH
EH

MM

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

A pé, de barco ou de bicicleta, esqueça o frio e mexa-se!



Três belos conselhos, a considerar.
Agora só falta mesmo é meter; pés, pernas e braços a trabalhar, para não têr frio.

ARM

Bicicletas fixas são nova onda Urbana

As bicicletas fixas são diferentes: elas não têm marchas, elas só andam quando são pedaladas e, algumas, nem travões têm! 
Por funcionar só quando é pedalada, a bike fixa acaba tornando-se uma óptima alternativa para cidades com grandes áreas planas. O seu travão (parar de pedalar) funciona de forma rápida para os momentos de trânsito complicado das capitais.
Por aqui já existem algumas fixas, mas... você pode montar sua bicicleta fixa, comprar acessórios e até ver exposições de arte sobre o universo urbano.
Aqui ficam alguns exemplares.










MM

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Articuladas



MM

Até o Albert Einstein... gostava delas.

MM

A Evolução do Homem e da Bike.

A evolução humana...
             Varios estudos indicam a linha provavel de evolução de Hominídios, enfatizando o parentesco biológico molecular entre os humanos e os primatas. Mostram por exemplo que, do ponto de vista genético, o homem e chimpanzé  são 99% idênticos.
             Cientistas de todo mundo continuam a buscar informações a cerca da origens e da  evolução do homem. A procura do ``elo perdido``- o tão procurado  espécime que dividiria características de primatas e de humanos - envolve grande números de pesquizadores. Ao mesmo tempo, a ciêcia tem apontado para vários ``elos perdidos``, uma ves que cada hominídios que for descoberto com idade aproximada de 4,4 milhões de anos  pode ser reconhecido como novo ``elo`` na cadeia de evolução.
                                               Uma periodização questionável
               Em sua longa hitória evolutiva, o ser humano adaptou-se no meio ambiente e assim garantiu e ampliou sua subsistência, desenvolveu e foi capaz de produzir recursos materiais capazes de aperfeisoar seu estilo de vida. A maior parte dessas conquistas ocorreu na pre-história.
               O termo ``pre-história`` é uma convenção e so utilizamos porque essa nomenclatura, e a periodização sobre a qual ela se assenta é um elemento facilitador e organisador  dos estudos históricos.

Quando tratamos sobre evolução de bicicletas, não podemos negar que alguns nomes marcaram história. Quem são eles?
Rosseau em 1877, inicialmente, apresentou um design que por meio de 2 correntes, multiplicava o giro da roda dianteira para dar maior velocidade na bicicleta.


Faz parte da evolução, o aperfeiçoamento de Vicent em 1880, quem construiu sua primeira bicicleta com transmissão na roda traseira, como Thomas Humber na Inglaterra que inventou o quadro de quatro tubos. Assim, a bicicleta já tinha um design e evolução nítidos para sua estabilidade nas descidas e curvas.
Quando se fala em evolução e criação de bicicletas, o primeiro nome a ser lembrado é de Ernest Michaux. O ano em que ele vivenciou o seu grande sucesso com as bicicletas foi em 1862. Mas o que ele fez?
Ernest Michaux fabricou mais de 143 unidades de bicicletas em 1 ano, ou seja, naquela época era um marco, já que não tínhamos maquinários e mão de obra suficiente para montagens em série.
Ele tornou-se o primeiro fabricante de bicicletas ou biciclos, como também eram conhecidas naquela época. Mas logo já mudava o nome, porque fora lançado um brinquedo com este nome e acabou entrando em desuso porque o usuário ficou muito confuso quanto à nomenclatura dada aos produtos.
Michaux tornou-se um grande empresário da época de 1875. Ele criou modelos para freias e pessoas que não gostavam de sentar-se na bicicleta, modelo mais versátil, mas em desuso nos dias de hoje.
Apenas em 1885, a bicicleta começou a ter as mesmas características como as de hoje em dia.


MM

sábado, 19 de novembro de 2011

Peugeot B1K - Bike Concept




A equipe de design da Peugeot divulgou algumas imagens da B1K, uma bike conceitual que traz traços esportivos e aerodinâmicos próprios para uma bela corrida, apresentando no projeto uma estrutura composta inteiramente por fibra de carbono.
Um dos detalhes mais interessantes é no projeto das rodas, com pneus que dispensam o sistema tradicional de válvulas e câmaras.
Para quem não sabe, a Peugeot não é nova no segmento de bikes, um bom exemplo é na primeira guerra mundial onde a montadora produziu desde armamentos militares e veículos, até bicicletas e tanques. No entanto a produção das bicicletas pela montadora se deu bem antes, lá por volta de 1882 em Beaulieu, na França, onde há a famosa Tour de France.
Deve ser uma bela maquina sim senhor...

MM

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

BIKES DE LUXO.

Bikes de Luxo
A tecnologia dos carros agora chega às bicicletas. Diversas marcas, reconhecidas pelo desenvolvimento de modelos de Fórmula 1 e automóveis potentes, investem nas bikes de luxo - que muitas vezes custam mais que um carro. Dá só uma olhada nesses quatro modelos:


Audi Duo
O quadro foi desenvolvido artesanalmente pela Renovo (fabricante americana de bikes). A Audi promete um modelo resistente aos impactos, porém leve. O preço fica entre R$ 11 mil e R$ 12.500. Inclui freios a disco, itens em fibra de carbono e faróis LED.
 BMW M
Desenvolvida pela divisão de esportivos da BMW, esse modelo também tem a fibra de carbono como destaque. Ela pesa 7kg e tem 28 marchas. O preço é sob consulta.
 Specialized Mclaren Venge
A McLaren criou a Vengue - modelo que pesa cerca de 2kg e custa R$ 30 mil. Design arrojado é uma das marcas desse modelo feito em fibra de carbono (o mesmo material dos carros de F1 e que melhora a performance em 15%).
 Range Rover Evoque
A bike tem como destaque a tecnologia vinda da F1 - para melhor desempenho em altas velocidades. As rodas são aro 20" e tem câmbio de 20 marchas. O preço também é sob consulta.




Ana Rita Mouquinho

Como Mudar Corrente.

Eu aqui descravei a minha e voltei a cravar, se por acaso partirem a meio de um passeio seguem os passos da mesma maneira, apenas terão de tirar um elo!

Antes de começar a desmontar uma corrente, é necessário saber que ferramentas necessitam.

 Esta ferramenta ++++ é usada nas oficinas de bikes.
Esta é a que se mais vê nas oficinas de bikes.

Esta é mais pequena logo mais pratica para trazer na mochila.

Para começar vou descravar(desmonta-la) a corrente.


 Nesta imagem se repararem na seta amarela vêem o pino da corrente já fora
 Aqui vê-se melhor...
Aqui ja soltei a corrente. muita gente nesta fase é quando faz o erro TOTAL que é tirar o pino todo para desmontar a corrente, mas ao tirarem o pino depois não conseguem voltar a polo como deve ser... deve-se tirar so ate ficar preso pelo outro lado do elo como vêm na imagem...agora perguntam mas como sei se já está no outro lado? :? é feeling e tempo de experiencia....

Agora volta-se a montar a corrente e crava-la..
 Aqui a corrente já esta cravada...como vêm na foto a um elo que esta levantado do chão(não pensem que fui eu que o pus assim porque não fui) acontece que quando cravam uma corrente as duas paredes do elo exterior vão apertar o elo interior..e faz com que a corrente não mexa ficando na posição em que ficou.

E agora o que fazemos para aliviar o aperto??
 Para aliviar a pressão deixem o elo em questão entre os dedos e façam torção...como ta na imagem...
 Outro angulo...
pronto já está....depois é só colocala na bike(quem tiver elos de aperto rapido, quem não tiver terá de fazer o procedimento que fiz já com a corrente colocada na bike)
Aqui ficam os tipos de elos rápidos
o dourado é designado por POWERLINK e é da SRAM
o cinzento é designado por CONNEX LINK e é da CONNEX

P.S.:ambos os elos rápidos são de 9velocidades, também existe de 10 e 7/8 e outros de outras velocidades.
Espero têr ajudado de alguma forma.
MM

Bamboo BME.







MM