terça-feira, 8 de novembro de 2011

Bicicletas versus carros

Bicicletas? Vanguarda???

Aquelas coisas de duas rodas em que se sua a dar ao pedal? Em que se está sujeito ao vento e ao frio? Acho que então prefiro ser retrógrado.
Diga lá, confesse, não foi isso o que pensou?

Vá lá, desencante a sua velha bicicleta ou vá à procura de uma.
Encontra-as de todas as for-mas, feitios e preços. Como em grande parte das coisas não é preciso termos o melhor modelo, o mais caro, o mais vistoso, para podermos desfrutar do prazer de a utilizar.

Sim, porque é um prazer andar de bicicleta. Experimente.


Afinal até tem sentido. Batalhou e esforçou-se tanto para ter o conforto de andar de carro. Ou ainda não o tem mas é uma meta a atingir.
Mas, vejamos, porque é que há-de ser automóvel versus bicicleta?
Vamos lá pôr de lado por um momento o automóvel (que é muito útil, sim senhor) e concen-trarmo-nos na bicicleta.

Comecemos pelas questões ecológicas. Até pode haver quem diga que hoje em dia está na moda falar das questões ambientais mas o problema é que para a grande maioria das pes-soas o que tem estado na moda é falar e não praticar os cuidados com o ambiente.

A bicicleta é um meio de transporte não poluente, económico e saudável. E isto por vários motivos.

O mais óbvio será o de que não emite gases altamente nocivos e prejudiciais para a saúde da natureza e de todos nós. Ao ser utilizada não consome energia (para além de quem a maneja mas isso resolve-se com uns bons goles de água ou uma apetitosa sandocha que até se desfruta enquanto se pedala). Não consome tantos materiais e energia no seu fabrico como é o caso de outros meios de transporte. Tem uma maior durabilidade. A verdade é que não existe a tendência de a estar sempre a trocar pelo modelo mais recente como é habitual com o automóvel e por outro lado também existe o hábito de a mesma bicicleta ir sendo usada sucessivamente pelos vários membros mais novos da família. A bicicleta é normalmente um bem que é utilizado até ao fim da sua vida útil. Também ocupa menos lugar, em casa, na garagem, nas ruas, nos estacionamentos e desgasta menos o pavimento das ruas. Por outro lado o ciclismo é um desporto que para além de poder ser praticado em família, em passeio, descontraidamente, é uma forma divertida de se manter em forma e de perder o excesso de calorias que muitas vezes a nossa “gulodice” nos faz ingerir mais do que deveríamos para bem da nossa saúde e consequentemente da nossa qualidade de vida.

Compreende-se assim porque é que em sociedades dominadas pelo automóvel se encon-tram cada vez mais pessoas a utilizarem as bicicletas nos seus vários fins bem como as enti-dades oficiais e instituições a incentivarem e facilitarem a sua utilização. Por exemplo o município de Paris criou em 2007 um sistema de transporte por bicicleta começando por disponibilizar 14000 bicicletas em mil pontos de estacionamento.
Também cada vez mais se encontram percursos de ciclo turismo não só em ambiente urbano como rural e/ou na natureza.

Vá lá, desencante a sua velha bicicleta ou vá à procura de uma.
Encontra-as de todas as for-mas, feitios e preços. Como em grande parte das coisas não é preciso termos o melhor modelo, o mais caro, o mais vistoso, para podermos desfrutar do prazer de a utilizar.

Sim, porque é um prazer andar de bicicleta. Experimente.


MM

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.